Furacão Ophelia a 995 quilómetros dos Açores e a deslocar-se em direção ao arquipélago

Segundo um comunicado do Centro de Previsão e Vigilância Meteorológica dos Açores, disponibilizado na página do Facebook da delegação regional do IPMA, o Furacão Ophelia, de categoria 2 numa escala de 1 a 5, “está a deslocar-se para este/nordeste a 13 quilómetros/hora em direção ao arquipélago”.

Ler mais

O ciclone, designação meteorológica que engloba tempestades tropicais e furacões, estava a 995 quilómetros a sudoeste dos Açores, às 09:00 locais (mais uma hora em Lisboa), deslocando-se em direção ao arquipélago, anunciou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

“De acordo com a previsão, existe uma probabilidade de o ciclone condicionar o estado do tempo no grupo oriental, com vento médio igual ou superior a 65 quilómetros/hora, a partir das 12:00 de sábado que em Santa Maria varia entre 50 a 70% e em São Miguel entre 20 a 30%”, adianta o IPMA.

Assim, prevê-se que a partir daquela hora “ocorra um agravamento do estado do tempo, com precipitação forte e acompanhada de trovoada, vento com rajadas que em São Miguel podem chegar aos 100 quilómetros/hora e em Santa Maria poderão ultrapassar os 100 quilómetros/hora, e ondas que podem atingir os seis metros de altura significativa”, refere o comunicado.

Nos grupos ocidental (ilhas das Flores e do Corvo) e central (Faial, Pico, Terceira, São Jorge e Graciosa), devido a uma superfície frontal fria com atividade moderada a forte, prevê-se precipitação por vezes forte, podendo ser acompanhada de trovoada, explica o IPMA.

O IPMA emitiu avisos amarelos e laranja para o arquipélago devido à previsão de chuva, vento, trovoada e agitação marítima. As ilhas de Santa Maria e de São Miguel estão sob aviso laranja para vento e para chuva forte prevista entre as 12:00 e as 24:00 horas, e aviso amarelo para agitação marítima a partir das 12:00 de sábado e até às 06:00 de domingo.

As cinco ilhas do grupo central estão sob aviso laranja entre as 00:00 e as 18:00 horas de sábado. Neste período vai vigorar ainda um aviso amarelo para trovoada.

Para as Flores e Corvo, até às 18:00 de hoje está prevista trovoada e precipitação forte, pelo que estas duas ilhas estão sob aviso amarelo.

O aviso laranja é o segundo de uma escala de quatro e indica situação meteorológica de risco moderado a elevado. O aviso amarelo, o terceiro de uma escala de quatro, revela situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Relacionadas

Fim-de-semana com calor, mas chuva regressa segunda-feira

“A partir de segunda-feira parece que vai haver uma mudança no estado do tempo, mas até lá vamos continuar, na generalidade do território, com temperaturas acima do normal para a época, com máximas acima dos 30 graus”, disse a meteorologista Maria João Frada.

Furacão Ophelia: vem aí chuva, vento e trovoada nos Açores

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera emitiu esta noite avisos amarelo e laranja para o arquipélago dos Açores devido à previsão de chuva, vento, trovoada e agitação marítima à passagem do furacão Ophelia. A probabilidade de o ciclone influenciar o estado do tempo a partir de sábado em São Miguel variava então entre 40 a 50% e em Santa Maria varia entre 60 a 70%.

Tempestade Ophelia mais perto dos Açores

O IPMA esclarece que o vento médio é agora de 75 quilómetros/hora e que as rajadas são na ordem dos 95 quilómetros/hora.
Recomendadas

Rio de Janeiro multa bares e restaurantes que oferecem palhinhas de plástico

As autoridades do Rio de Janeiro começaram hoje a multar os cafés, restaurantes e bares de praia da emblemática cidade brasileira que oferecem palhinhas de plástico aos clientes. ”Estamos na vanguarda de uma grande luta em defesa do meio ambiente”.

Sismo de 2,7 na escala de Richter sentido na Terceira

De acordo com o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, o ‘abanão’ foi “sentido em Angra do Heroísmo” e o CIVISA “continua a acompanhar o evoluir da situação, emitindo novos comunicados caso necessário”.

Bruxelas investiga BMW, Daimler e grupo VW por suspeitas de cartel

O cartel “pode ter negado aos consumidores a oportunidade de comprar carros menos poluentes, apesar de a tecnologia estar disponível para os fabricantes”, segundo a comissária europeia para a Concorrência, Margrethe Vestager.
Comentários