Futebol em Portugal pagou mais de 142 milhões de euros em impostos na época passada

Valor produzido em impostos representa uma diminuição de 4,8% face à temporada de 2018/19, época em que se registou uma contribuição a este nível de 150 milhões de euros.

FC Porto

O futebol português produziu mais de 142 milhões de euros para o Estado na época de 2019/20, de acordo com dados da quarta edição do Anuário do Futebol Profissional Português, produzido pela EY, numa parceria com a Liga Portugal.

Valor produzido em impostos representa uma diminuição de 4,8% face à temporada de 2018/19, época em que se registou uma contribuição a este nível de 150 milhões de euros.

Este anuário elaborado pela EY revela que a Liga NOS contribuiu com cerca de 128 milhões de euros, ou seja, 89% do impacto fiscal estimado. No mesmo período, ou seja na temporada 2019/20, a LigaPro e a Liga Portugal contribuíram com cerca de 15 milhões de euros, tendo um peso nas contribuições fiscais de 9% e 2% respetivamente.

Numa análise às contribuições fiscais, o anuário da Liga Portugal revela o volume mais relevante diz respeito às remunerações dos agentes desportivos.

Ao nível dos impostos, note-se que o IRS e a Segurança Social representam cerca de 77% das contribuições fiscais, sendo que, no seu conjunto, estas contribuições totalizam 112 milhões de euros: 58% dessa contribuição é direcionada para o IRS e 22% para a Segurança Social.

Recomendadas

Câmara de Lisboa estuda solução para festejos do Sporting em segurança

“A mensagem que queria transmitir, neste momento, é que estamos a estudar, estamos a trabalhar, estamos a pensar nas melhores soluções para se acontecer a vitória do Sporting no campeonato, poder haver festejos em segurança na cidade de Lisboa”, disse o presidente da autarquia.

Quanto valeria o regresso de Cristiano Ronaldo à Liga portuguesa? Veja o “Jogo Económico”

Acompanhe o “Primeira Pessoa” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.

Miguel Farinha: “Pandemia? É preciso destacar a capacidade de resiliência dos clubes”

Em entrevista ao programa “Jogo Económico”, da plataforma multimédia JE TV, Miguel Farinha, partner e líder de Strategy and Transactions da EY, destacou a capacidade de resiliência dos clubes apesar de um terço da época ter sido afetada pela crise pandémica.
Comentários