Futebol português contribuiu com 549 milhões para o PIB antes da pandemia

Números fazem parte da nova edição ‘Anuário do Futebol Profissional Português’, realizado em parceria entre a Liga Portugal e a EY e cuja apresentação acontece esta quarta-feira na conferência sobre o ‘Futebol Profissional e Economia Pós Covid-19’.

Presidente da Liga Portugal, Pedro Proença

A indústria do futebol profissional em Portugal registou um contributo total de 549 milhões de euros para o Produto Interno Bruto (PIB) português na época desportiva 2018-19, indica a nova edição do ‘Anuário do Futebol Profissional Português, uma parceria entre a Liga Portugal e a consultora EY, sendo apresentado esta quarta-feira, 5 de agosto, em Oeiras, na conferência sobre o ‘Futebol Profissional e Economia Pós Covid-19’.

Os dados deste estudo revelam ainda que a atividade da Liga Portugal e das 32 sociedades desportivas presentes na Liga NOS e Ledman LigaPro geraram receitas superiores a 874 milhões de euros, o que possibilitou ao Estado português arrecadar mais de 150 milhões de euros em impostos.

Deste modo, o futebol profissional em Portugal pagou em impostos o equivalente a 86 mil salários médios mensais da função pública. Além disso, a indústria do futebol representa neste momento por mais de 2.600 postos de trabalho.

Este estudo revela ainda as contribuições fiscais das sociedades desportivas, sendo que a grande fatia diz respeito às remunerações dos agentes desportivos (juntos, IRS e Segurança Social valem 78% dos impostos pagos pelo setor).

Nesta conferência marcam presença, entre outros, o presidente da Liga Portugal, Pedro Proença, o presidente da Confederação Empresarial de Portugal (CIP), António Saraiva e Pedro Siza Vieira, Ministro da Economia e da Transição Digital.

Relacionadas

Desafios centralizados

O impacto e a forma como hoje a nossa atividade interage com a economia portuguesa, bem demonstrada nos dados do anuário que hoje lançamos, reforça a nossa já assumida ambição de que a indústria do Futebol passe a estar também sob a alçada do Ministro da Economia, numa dupla tutela com Ministério de Educação e a Secretaria de Estado da Juventude do Desporto.
Recomendadas

Candidato à presidência do SL Benfica apresenta solução financeira em parceria com fintech portuguesa

Este financiamento adotado pela candidatura de Rui Gomes da Silva será efetuado “através das receitas geradas pela utilização de uma Carteira Digital não bancária, com acesso por parte dos sócios e adeptos do Benfica a um cartão visa pré-pago e a um leque de serviços inovadores”.

Governo italiano aprova público nos estádios até um terço da sua capacidade

Estádios como o San Siro, onde atuam o AC Milan e o Inter de Milão, poderão ter, à semelhança do Olímpico de Roma, uma lotação de até 25/26 mil pessoas.

“Jogo Económico”: “Benfica pagou 1,8 milhões a um jogador que causou rombo nas contas de 37,4 milhões”

O economista e ex-futebolista, Diogo Luís, fez às contas às perdas do SL Benfica na noite europeia de Salónica: aos 37,4 milhões de euros que as ‘águias’ iriam receber pela entrada na fase de grupos junta-se 1,8 milhões pagos aos jogador que selou a eliminação dos ‘encarnados’.
Comentários