Futebol português vai centralizar a venda dos direitos televisivos

O campeonato português pretende seguir os passos dados anteriormente por outras competições europeias. Este sistema tem ajudado a multiplicar o valor dos direitos televisivos, tornando esta fonte de receitas um pilar fundamental para muitos clubes da Primeira liga que, em muitos casos, representa um valor superior a 80% da receita ordinária.

Cristina Bernardo

Em busca de soluções para a crise provocada pela pandemia de Covid-19 e em prol de um campeonato mais competitivo, Portugal inicia o processo de mudança do sistema de comercialização dos direitos audiovisuais. O executivo vai permitir a venda centralizada de direitos, conforme adiantado pelo secretário de Estado da Juventude e Desportos, João Paulo Rebelo.

Rebelo considera que a venda centralizada permitirá “uma distribuição muito melhor do dinheiro”, o que se traduzirá “num campeonato muito mais competitivo, à semelhança do que está a acontecer em toda a Europa”.

O campeonato português pretende seguir os passos dados anteriormente por outras competições europeias. Este sistema tem ajudado a multiplicar o valor dos direitos televisivos, tornando esta fonte de receitas um pilar fundamental para muitos clubes da Primeira liga que, em muitos casos, representa um valor superior a 80% da receita ordinária.

“Temos vindo a acompanhar toda esta atividade pandémica, todo o seu impacto e temos a certeza de que temos de encontrar soluções, tal como fizemos no passado e faremos no futuro, com a ajuda do quadro financeiro plurianual da União Europeia,” expõe Rebelo sobre o projeto.

A legislação sobre direitos de transmissões desportivas será aprovada “nas próximas semanas”, detalha o secretário de Estado. Uma medida que implicará a mudança radical do cenário atual em que os clubes vendem os seus direitos individualmente.

A “Sport TV” adquiriu os direitos de 17 dos 18 clubes da Primeira Liga. O SL Benfica é o único que os explora por conta própria através do seu canal e plataforma “Benfica TV”, disponível através da NOS ao abrigo de um acordo de dez anos até à temporada 2025/26.

Ler mais
Recomendadas

SAD do Benfica com lucro de 8,2 milhões no primeiro semestre da temporada

O resultado operacional, que inclui transferências de jogadores, é de 12,8 milhões de euros positivo, para os quais contribuiu a transferência de Ruben Dias para o Manchester City, por 68 milhões de euros.

“Não há espaço para questões emocionais” na negociação dos direitos televisivos, avisa especialista em marketing desportivo

Daniel Sá defende que em Portugal deve existir um conjunto de critérios objetivos para uma distribuição justa dos valores envolvidos na negociação. “Podemos ir beber várias das experiências que já existem e encontrar o modelo certo para nós”, refere.

Fórmula 1 fecha 2020 com perdas de 444 milhões e queda de 43% nas receitas

As receitas da Fórmula 1 caíram 43% no ano fiscal encerrado a 31 de dezembro de 2020, em comparação com o de 2019. Há um ano, a empresa recebeu dois mil milhões de dólares (1,6 mil milhões de euros).
Comentários