‘Future of Finance’. PwC e Jornal Económico debatem futuro dos CFOs

Para a PwC, os CFOs devem assumir-se como principais impulsionadores da performance e estratégia das organizações. Essa evolução estará em debate esta quarta-feira, em Lisboa, numa conferência que conta com o Jornal Económico como media partner. Acompanhe este evento em direto no site e redes sociais.

A PwC vai debater o futuro da função financeira e como esta terá de evoluir drasticamente nos próximos anos para acompanhar as novas necessidades das organizações através da conferência ‘Future of Finance’, que terá lugar em Lisboa esta quarta-feira e que contará com o Jornal Económico como media partner.

Se está interessado em assistir a esta conferência e a saber mais sobre os novos desafios da função financeira, pré-inscreva-se aqui.

Como observadora atenta das funções financeiras em todo o mundo, a PwC entende que os CFOs são hoje confrontados com a necessidade de fazer uma escolha: ou assumem que a função financeira é fundamentalmente uma função de suporte, com a consequente perda de relevância; ou a encaram como o principal impulsionador da performance e estratégia das organizações.

Em entrevista ao Jornal Económico, Gabriela Teixeira, Consulting Leader da PwC Portugal explicou que há um desafio inerente à função financeira e que esse desafio surge “num contexto de elevada transformação, onde a tecnologia digital é a tendência mais abrangente” passando pela combinação entre automação, inteligência artificial e big data. Esta Consulting Leader da PwC Portugal realça que “a função financeira pode reinventar-se e assumir um papel nunca antes tido. Como? Através da aquisição de competências chave e de tecnologias que potenciem o aumento da eficiência e a criação de valor acrescentado para o negócio, permitindo um posicionamento mais estratégico e de verdadeiro parceiro no processo de tomada de decisão”. E podem as empresas ‘dar-se ao luxo’ se adiar este tipo de decisão? “As empresas que adiarem este tipo de decisões correm o risco de não acompanhar esta revolução digital, enquanto que as que abordarem estes temas de uma forma estratégica e integrada prosperarão mais facilmente no futuro”, esclarece a Consulting Leader da PwC Portugal.

E qual a importância do evento Future of Finance para trazer este ponto de vista sobre o futuro dos CFOs? Gabriela Teixeira explica que, nesta conferência, a PwC pretende apresentar a sua visão sobre as principais tendências e desafios da função financeira do futuro, contando para isso com a intervenção de especialistas da rede internacional, assim como partilhar os resultados do 1º CFO Survey Portugal 2019, que nos permitirão caracterizar o perspectiva dos CFOs nacionais acerca deste tema. De forma a aprofundar este debate, será dinamizada uma mesa redonda, moderada pelo Jornal Económico, que contará com a presença de três Executivos Financeiros do panorama empresarial nacional: Alexandre Matos (Altice Portugal); Alexandre Scarlet (Generali) e Luís Silva (Mota-Engil). Por fim, vão existir três sessões interativas onde iremos apresentar algumas das tendências tecnológicas mais relevantes para a função financeira, através da demonstração de soluções e da sua aplicabilidade prática, nomeadamente: • Reporting 5.0 • Intelligent Automation powered by Robotic Process Automation • Path to S/4 Hana: Innovation with Public Cloud.

 

 

 

 

 

Ler mais
Recomendadas

PremiumPedro Gouveia Alves: “Enquanto cidadãos devemos defender Portugal na UE”

Presidente do Montepio Crédito considera que a adesão à União Europeia trouxe “mais benefícios do que riscos” e ajudou Portugal durante a crise.

PremiumPortugal precisa de se afirmar para compensar cortes nos fundos europeus

Eurodeputada Cláudia Monteiro Aguiar acredita que a saída do Reino Unido da União Europeia vai obrigar a cortes nas verbas destinadas à coesão. Portugal pode sofrer e terá de encontrar novas formas de se afirmar.

Brexit vai influenciar Orçamento da UE e condicionar fundos de coesão, defende eurodeputada Cláudia Monteiro Aguiar

A eurodeputada social-democrata Cláudia Monteiro Aguiar indica que o Brexit dominou as discussões europeias nos últimos anos e obrigou a “colocar em segundo plano” outras questões importantes para a UE, como os transportes, turismo e alterações climáticas.
Comentários