Galp anuncia contratos de aquisição de energia renovável em Espanha

A Galp vai disponibilizar aos clientes, a partir de junho de 2020, energia solar proveniente de parques de 200 Megawatt (MW) em Espanha, através de um acordo quadro com a X-Elio, anunciou hoje a empresa.

Galp

A Galp assegurou contratos de aquisição de energia renovável em Espanha. Em comunicado a petrolífera portuguesa refere que “reforçou o seu portfólio comercial para disponibilizar uma oferta de energia renovável aos seus clientes, através de um acordo quadro estabelecido com a X-Elio, que abrange Contratos de Aquisição de Energia sintéticos”.

A X-Elio é uma empresa especializada no desenvolvimento, construção e operação de centrais solares com presença global na Europa (Espanha e Itália), Estados Unidos, México, Chile, Japão e Austrália, entre outros.

Esta operação incorpora diversos contratos de aquisição de energia de longo prazo (PPA), que têm subjacentes projetos de geração elétrica solar de cerca de 200 MW e que se encontram em fase final de desenvolvimento em Espanha, abrangendo um montante nacional total de 358 Gigawatt-hora anuais durante um período de 12 anos.

“Estes contratos têm subjacentes projetos de geração de energia solar de cerca de 200 MW em Espanha, atualmente em desenvolvimento, cobrindo um montante nocional total de 358 GWh por ano durante um período de 12 anos, o qual será progressivamente alocado às atividades comerciais da Galp a partir de junho de 2020”, revela a empresa liderada por Carlos Gomes da Silva em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), esta segunda-feira.

Segundo o mesmo comunicado, o acordo “enquadra-se na estratégia da Galp de assegurar um fornecimento equilibrado e competitivo de longo-prazo para as suas atividades de comercialização de energia, disponibilizando aos seus clientes o acesso a soluções energéticas eficientes e ambientalmente sustentáveis”.

A X-Elio é uma empresa global de energias renováveis e sustentáveis e “tem um forte compromisso com a redução de gases com efeito de estufa e o combate às alterações climáticas”. As receitas em 2018 ultrapassaram os 130 milhões de euros e a empresa tem experiência nesta área através da construção de centrais solares de mais de 2 GW, tendo atualmente 23 em operação em 13 países.

Ler mais
Recomendadas

Setor de comércio e serviços pede prolongamento do layoff e perdão de rendas

A CCP também aponta que a exigência de certidões de não dívida não faz sentido neste momento em que as empresas enfrentam dificuldades, defendendo que deixe de constituir condição para a “candidatura a qualquer concurso público”.

CFP alerta para impacto “desconhecido” no capital do Novo Banco da litigância com o Fundo de Resolução

No relatório “Perspetivas económicas e orçamentais 2020-2022”, o CFP diz que “existe um risco adicional para as finanças públicas caso o rácio de capital total do Novo Banco se situe abaixo do requisito estabelecido pelas autoridades de supervisão”. Nesta situação, o Estado Português poderá ter de disponibilizar fundos adicionais de forma a que o banco cumpra os requisitos regulatórios. É a chamada Capital Backstop que foi autorizada por Bruxelas para casos “extremos”. O CFP alerta para incógnita sobre o impacto no capital do banco do diferendo na contabilização das IFRS 9.

Extensão das moratórias até 31 de março de 2021 vai hoje a Conselho de Ministros

Proposta das Finanças prevê extensão das moratórias públicas até março de 2021 e o alargar os créditos que poderão beneficiar do regime, como créditos para segunda casa e crédito ao consumo para financiar educação.
Comentários