Galp e BCP impulsionam bolsa portuguesa

O arranque da bolsa portuguesa é marcado por 13 empresas cotadas a valorizar, três em queda e uma sem variação.

O principal índice bolsista português (PSI 20) abriu esta terça-feira a ganhar 1,06%, para 4.496,54 pontos, em linha com as principais congéneres europeias.

No Velho Continente, os investidores mostram-se otimistas com o reconhecimento da vitória eleitoral de Joe Biden pela administração Trump. Acrescem as expetativas em torno da vacina para a Covid-19, com a AstraZeneca a ser a mais recente farmacêutica a anunciar que o seu projeto de vacina corresponde aos critérios exigidos.

Na bolsa portuguesa, o ambiente é marcado por 13 empresas cotadas a valorizar, três em queda e uma sem variação. A Galp Energia (3,78%) e o BCP (1,69%) são as principais cotadas a impulsionar o PSI 20.

Destaque para a Galp que acompanha a tendência no mercado petrolífero. Em Londres, o Brent que é referência para Portugal avança 0,83%, para 46,41 dólares. Já em Nova Iorque, o WTI ganha 0,95%, para 43,74 dólares.

Recomendadas

Moody’s diz que África subsaariana tem “desafios económicos severos” em 2021

A agência de notação financeira Moody’s alertou hoje que a África subsaariana vai enfrentar “desafios económicos severos” este ano devido à crise agravada pela pandemia de covid-19, com a dívida pública a subir para 64%.

Moody’s estima que dívida pública de Angola suba para 110% este ano

A agência de notação financeira Moody’s estima que Angola vá terminar este ano com uma dívida pública a valer 110% do Produto Interno Bruto (PIB), canalizando 28% das receitas fiscais apenas para pagar a dívida.

Wall Street fecha semana no vermelho empurrada por quedas na banca

Os principais índices norte-americanos caíram na última sessão da semana, apesar do anúncio de Joe Biden do pacote de estímulos que quer ver aprovado. Os resultados da banca, que, apesar de longe de ideais, até foram melhores do que esperado, puxaram para baixo Wall Street.
Comentários