Galp entra na exploração de lítio em Portugal

A petrolífera vai ficar com uma percentagem de 10% deste projeto localizado no distrito de Vila Real e que é detido maioritariamente pela Savannah Resources.

A Savannah Resources anunciou hoje um acordo com a Galp para a mina de lítio do Barroso, no concelho de Boticas, distrito de Vila Real.

Este acordo diz respeito a um “investimento estratégico e uma aliança no campo de lítio” neste projeto localizado no norte de Portugal.

A Galp vai ficar com uma percentagem de 10% neste projeto em troca de 6,4 milhões de dólares para ser usado no estudo de viabilidade do projeto.

A petrolífera vai “acrescentar valor material através da sua participação na gestão do projeto e a transferência da sua experiência significativa no desenvolvimento de projetos de grande escala em Portugal”.

A empresa liderada por Carlos Gomes da Silva vai ficar com 50% do concentrado de lítio produzido anualmente nesta mina.

“A mina do Barroso vai providenciar uma série de benefícios económicos, sociais, demográficos e ambientais para a região, para Portugal e a Europa. Em particular, o projeto vai providenciar um catalisador para o desenvolvimento em Portugal de potenciais novas industrias no ecossistema europeu da baterias de iões de lítio”, disse em comunicado o presidente executivo da Savannah, David Archer.

A empresa mineira Savannah Resources está sediada em Londres e o seu portefólio inclui a mina do Barroso e a mina de Mutamba em Moçambique. de metais pesados.

Sobre o projeto da mina do Barroso, a Savannah diz que é uma “oportunidade” para a empresa de tornar no primeiro produtor de lítio na Europa através dos mais rápido desenvolvimento do mais significante recurso de lítio na União Europeia”.

Recomendadas

Caixa Geral de Depósitos aumenta lucros para 294 milhões de euros

No primeiro semestre, o resultado líquido consolidado da CGD atingiu 294 milhões de euros (249 milhões no período homólogo). O banco revela ainda a “continuação do reforço de imparidades de crédito em 90,2 milhões de euros em base preventiva dos potenciais efeitos da crise pandémica”.

Mais de metade das empresas com quebras no volume de negócios em 2020

Três quartos das empresas do alojamento e restauração registaram perdas no volume de negócios, enquanto mais de metade das empresas nos sectores dos transportes, serviços gerais, grossistas, retalho e indústrias apresentaram quebras.

Comissão de Trabalhadores da Meo apresentou proposta para travar despedimento coletivo mas administração recusou

A entidade “entende que este despedimento coletivo é injustificável, impróprio, imoral e ilegal”. 
Comentários