Galpgate: Gestores da Galp vão a julgamento mas há arquivamento para políticos

Enquanto os gestores da Galp ainda podem ir a julgamento pelas ofertas de bilhetes e viagens ao Euro 2016, os políticos que auferiram dos mesmos vão ser o processo arquivado mediante o pagamento de uma multa, entre 650 euros e 4.800 euros, avança o Observador.

O caso Galpgate remonta a 2016 mas parece estar longe de resolvido. A juíza de instrução criminal propôs no fim do ano passado que o processo de crime de recebimento indevido de vantagens fosse suspenso de forma provisória para todos os arguidos envolvidos, mas o procurador Pedro Roque recusou tal decisão, avança o jornal ‘Observador’ esta terça-feira, 28 de janeiro.

De acordo com a publicação, o procurador recusou que a decisão fosse aplicada aos gestores da Galp que ofereceram os bilhetes e viagens aos jogos do Euro 2016, em que Portugal foi campeão, mas aceitou suspender o processo para os titulares de cargos políticos que beneficiaram as ofertas.

As duas sociedades da Galp, juntamente com o administrador Carlos Costa Pina e seis representantes da petrolífera podem vir a ser julgados, enquanto os dois ex-secretários de Estado Fernando Rocha Andrade e Jorge Oliveira, Vítor Escária (ex-assessor de António Costa) e a sua mulher Susana Escária, bem como os autarcas Álvaro Beijinha (Santiago do Cacém), Nuno Mascarenhas (Sines), além de Pedro Sousa Matias (ex-chefe de gabinete de João Vasconcelos e atual presidente do Grupo ISQ)  e Luís Ribeiro Vaz (ex-administrador da ANA – Aeroportos de Portugal) poderão ser beneficiados com o arquivamento do processo pagando só uma multa.

Pedro Roque considera, explica o ‘Observador’, que o crime de recebimento de vantagem imputado aos representantes da petrolífera tem “níveis de ilicitude e culpa que só podem ser considerados elevados, nomeadamente os convites endereçados a entidades que se encontravam a apreciar pretensões do grupo Galp”, sendo que o mesmo não se aplica aos políticos cujos nomes estão envolvidos.

Multas totalizam mais de 20 mil euros

O pagamento das multas, segundo a publicação, vão chegar até 4.800 euros, nunca ultrapassando esse valor. Fernando Rocha Andrade deve pagar o valor mais elevado previsto na injunção determinada pela juíza, sendo este de 4.800 euros, enquanto Jorge Oliveira deve proceder ao pagamento de 3.500 euros, Vítor Escária de 1.200 euros e a sua mulher, Susana Escária, deve pagar 650 euros. Por sua vez, os autarcas Álvaro Beijinha e Nuno Mascarenhas devem proceder ao pagamento de quatro mil e 3.800 euros, respetivamente. Assim, Pedro Sousa Matias deve pagar mil euros e o ex-administrador da ANA Luís Ribeiro Vaz pode pagar 1.200 euros.

Assim, as duas sociedades da Galp, o administrador Carlos Costa Pina, José Sequeira Nunes, Nuno Pinto, Eduardo Guedes Oliveira, Carlos Andrade e José Martinho Correia deverão ir a julgamento.

O que é o Galpgate?

O escândalo Galpgate rebentou a 3 de Agosto de 2016 quando a revista Sábado avançou que o então secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha Andrade, tinha viajado a convite da Galp para assistir ao jogo Portugal-Hungria a 22 de Junho na cidade de Lyon durante o campeonato europeu de futebol em França.

O caso revestiu-se de particular importância pois Rocha Andrade tutelava a Autoridade Tributária com quem a Galp mantém vários diferendos fiscais em tribunal, entre os quais a Contribuição Extraordinária sobre o Sector Energético (CESE).

Ler mais
Relacionadas

Galpgate: Arguidos podem pagar multas num total de 125 mil euros para não irem a julgamento

O processo que consistiu no pagamento de viagens pela Galp a vários governantes para assistirem a jogos do Campeonato da Europa de 2016 poderá ser arquivado. Os ex-secretários de Estado Fernando Rocha Andrade e Jorge Oliveira são dois dos arguidos.

Viagens pagas ao Euro 2016: Sete responsáveis da Galp e dois ex-secretários de Estado acusados pelo Ministério Público

Foram constituídos 18 arguidos no total, incluindo, que ocupavam estes cargos à altura dos factos: dois secretário de Estado, dois chefes de gabinete de secretários de Estado, dois assessores governamentais, dois autarcas e um administrador de empresa concessionária de serviço público.
Recomendadas

Desafios aos quais as organizações devem responder

É importante que os líderes atuem como agentes de mudança e articulem claramente as vantagens para a elevada satisfação no trabalho, incluindo a formação das chefias nas suas responsabilidades essenciais.

“Mercados em Ação”. “Vitória de Joe Biden nos EUA vai ajudar muito a EDP”

Na última edição do programa “Mercados em Ação”, da plataforma multimédia JE TV, Miguel Gomes da Silva, head of treasury and trading do Montepio, analisou os desafios do novo CEO da EDP, Miguel Stilwell, escolhido esta semana para gerir os destinos da elétrica até 2023.

“Mercados em Ação”. “Galp está a transformar-se. Fecho da refinaria de Matosinhos foi um exemplo”

Futuro da Galp e os desafios do seu novo CEO, Andy Brown, foram temas abordados na última edição do programa “Mercados em Ação”, da plataforma multimédia JE TV, Miguel Gomes da Silva, head of treasury and trading do Montepio.
Comentários