Gasolina e gasóleo descem na próxima semana

Os dois combustíveis vão descer meio cêntimo, refletindo as cotações médias dos combustíveis nos mercados internacionais, de acordo com fontes do setor contactadas pelo Jornal Económico.

Na próxima semana a gasolina e o gasóleo irão descer meio cêntimo cada um, refletindo as cotações médias dos combustíveis nos mercados internacionais, de acordo a informação adiantada esta sexta-feira, 2 de novembro, por fontes do setor contactadas pelo Jornal Económico.

Saiba onde estão os postos com os combustíveis mais baratos:

Gasolina

Jumbo Coimbra (1,439 euros)
Jumbo Eiras (1,49 euros)
Intermarché Ourém (1,449 euros)
Intermarché de Vila Real de Santo António (1,449 euros)
REDE ENERGIA (1,449 euros)

Gasóleo

Intermarché de Valença (1,299 euros)
Intermaché de Vilar Formoso (1,299 euros)
Intermarché Ourém (1,299 euros)
Intermarché Marinha da Guia (1,305 euros)
Francisco Laia Nunes, Lda (1,307 euros)

Ler mais
Recomendadas

Orçamento de Natal: Não perca as contas às compras

São muitos os consumidores que na azáfama das compras acabam por perder a perceção ao que efetivamente podem gastar, só percebendo mais tarde, do verdadeiro impacto destes gastos no orçamento familiar.

Devo utilizar crédito para fazer compras de natal?

É fácil comprar usando o cartão de crédito ou contratando um crédito. No caso do empréstimo pessoal, este crédito é chamado de fácil aprovação, mas não é barato. As letras miudinhas, pouco claras, desincentivam a leitura dos contratos e dificultam (muito!) a explicação dos encargos elevados que terá de pagar. As palavras “custos” e “juros” estão sempre presentes, pelo que o consumidor deve pensar duas vezes antes de usar o cartão ou o crédito pessoal para fazer as compras de Natal.

Salários até aos 686 euros ficam isentos de IRS em 2021

Retenção de IRS começa para quem ganha mais de 686 euros. Alívio no imposto do próximo ano que reflete a redução as taxas de retenção na fonte do IRS no início de 2021. Medida abrange dois milhões de contribuintes e contempla uma redução média (e progressiva) de 2% nas retenções. Trabalhadores dependentes já podem calcular quanto irão descontar todos os meses.
Comentários