Geração Z e millenials perderam o interesse pelo Facebook. Instagram é a rede preferida dos influenciadores

“O crescimento do Facebook está estagnado”, explicou Ana Aldea, responsável por analisar as redes sociais, ao ‘El Economista’.

A conhecida rede social dos influenciadores parece estar a converter-se no futuro do marketing digital, com novas funcionalidades que permitem saber diretamente a loja e o preço dos produtos, um método bastante adotado pelas celebridades.

“O crescimento do Facebook está estagnado”, explicou Ana Aldea, responsável por analisar as redes sociais, ao ‘El Economista’. Ana Aldea explica que se há ferramenta que não deve faltar quando se está a planear uma campanha em redes sociais é o Instagram.

A responsável sublinhou o facto de “a atração de novos utilizadores custa cada vez mais” ao Facebook, garantindo que “as gerações mais jovens, como a geração Z ou os millennials, perderam o interesse na rede social criada por Mark Zuckerberg”. A atratividade do Instagram é tanta que supera os quatro mil milhões de ‘gostos’ diários, e cada publicação tem 23% de mais interatividade que no Facebook.

O Instagram arrecada 11 mil milhões de dólares em receitas de publicidade por ano.

Na rede social das fotografias, o investimento em publicidade digital superou os 311 mil milhões de dólares, de acordo com projeções da Statista para 2019.

Recomendadas

Urgência da Maternidade Alfredo da Costa retoma hoje normalidade

A ministra da Saúde garantiu hoje que a Maternidade Alfredo da Costa (MAC), em Lisboa, vai retomar o normal funcionamento a partir das 20:00 de hoje, admitindo que o serviço de anestesiologia esteve em contingência por falta de anestesistas.

Zero alerta para falhas perigosas na gestão de resíduos eletrónicos

A associação Zero saudou hoje o reforço das inspeções à gestão de Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos, alertando para ilegalidades no tratamento destes lixos que colocam em perigo a saúde e o ambiente.

Morreu Otávio Neto Varela, ex-embaixador de Portugal em Pequim

O diplomata Octávio Neto Valério, que participou nas negociações do acordo com a China para a transição de Macau, morreu na quinta-feira, aos 89 anos.
Comentários