Goldman Sachs financia em 150 milhões startup portuguesa especializada em renting

Com este financiamento, a Liqui.do pretende ajudar as PME portuguesas a modernizar os equipamentos de que necessitam para expandir os negócios.

A Liqui.do, empresa portuguesa especializada em soluções de renting de equipamentos para pequenas e médias empresas obteve um financiamento do banco de investimento norte-americano, Goldman Sachs, no valor de 150 milhões de euros.

Com este financiamento, a Liqui.do pretende ajudar as PME portuguesas a modernizar os equipamentos de que necessitam para expandir os negócios. Além disso, a empresa portuguesa, liderada por Sérgio Nunes “pretende recrutar 20 novos profissionais para reforçar a área comercial e de desenvolvimento de software”, e “chegar a novos mercados, investido na melhoria da sua plataforma, tecnologia e oferta de produto”, lê-se na nota.

Para Sérgio Nunes, “este financiamento é um passo muito importante para a empresa, pois irá permitir à Liqui.do apoiar mais PME nacionais, conferindo-lhes liquidez de modo a fazerem crescer os seus negócios”.

Em comunicado, a Liqui.do explicou que 50 milhões já estão disponíveis, enquanto os restante cem milhões estão sujeitos “a determinadas condições”, que não foram detalhadas.

A Liqui.do, uma empresa tecnológica, desenvolve processos de renting de forma totalmente digital, com recurso a algoritmos, cloud computing e automação, eliminando as burocracias.

Segundo a empresa, o fornecedor de equipamentos pode, “em poucos segundos”, apresentar uma proposta aos seus clientes através da plataforma da Liqui.do, podendo, inclusive, “fechar o negócio naquele momento, sem necessidade de informação ou documentação adicionais”.

 

Ler mais
Relacionadas

Maiores bancos dos EUA alertam para risco crescente de recessão mundial

De acordo com o Morgan Stanley, citado pela agência financeira Bloomberg, uma recessão económica global poderia ter início dentro de nove meses caso o presidente norte-americano, Donald Trump, aumentasse em 25% as tarifas alfandegárias sobre mais exportações chinesas avaliadas em 300 mil milhões de dólares e se a China decidisse retaliar.

Goldman Sachs com quebra de 20% dos lucros no primeiro trimestre

As receitas de negociação caíram 18% para 3,61 mil milhões de dólares, com as receitas de ações a descer 24% e as de renda fixa, moedas e commodities a recuarem 11%.
Recomendadas

Lesados do BES. António Costa “disse que acabou. Não há mais dinheiro”

Uma organizadora do movimento dos emigrantes lesados do BES em França contou hoje à Lusa que o primeiro-ministro, António Costa, lhe disse que não haveria mais dinheiro para além do que já foi acordado.

Adeus, caderneta bancária. Levantamentos de dinheiro acabam este sábado

Esta medida é uma consequência direta da entrada em vigor das novas regras europeias, que exigem mais segurança nas operações bancárias. Clientes do Montepio Geral, Caixa Geral de Depósitos e Crédito Agrícola vão ter de passar a usar somente o cartão de débito para levantar dinheiro.

Sindicatos bancários aplaudem “papel responsável” da DGERT e dizem que negociação para 2019 com o BCP “não está fechada”

Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários, Sindicato dos Bancários do Norte e Sindicato Independente da Banca asseguram que não voltarão “a baixar os braços” porque pediram 2,38% de atualização de tabelas e cláusulas pecuniárias e o banco retorquiu com 0,6%.
Comentários