Goldman Sachs financia em 150 milhões startup portuguesa especializada em renting

Com este financiamento, a Liqui.do pretende ajudar as PME portuguesas a modernizar os equipamentos de que necessitam para expandir os negócios.

A Liqui.do, empresa portuguesa especializada em soluções de renting de equipamentos para pequenas e médias empresas obteve um financiamento do banco de investimento norte-americano, Goldman Sachs, no valor de 150 milhões de euros.

Com este financiamento, a Liqui.do pretende ajudar as PME portuguesas a modernizar os equipamentos de que necessitam para expandir os negócios. Além disso, a empresa portuguesa, liderada por Sérgio Nunes “pretende recrutar 20 novos profissionais para reforçar a área comercial e de desenvolvimento de software”, e “chegar a novos mercados, investido na melhoria da sua plataforma, tecnologia e oferta de produto”, lê-se na nota.

Para Sérgio Nunes, “este financiamento é um passo muito importante para a empresa, pois irá permitir à Liqui.do apoiar mais PME nacionais, conferindo-lhes liquidez de modo a fazerem crescer os seus negócios”.

Em comunicado, a Liqui.do explicou que 50 milhões já estão disponíveis, enquanto os restante cem milhões estão sujeitos “a determinadas condições”, que não foram detalhadas.

A Liqui.do, uma empresa tecnológica, desenvolve processos de renting de forma totalmente digital, com recurso a algoritmos, cloud computing e automação, eliminando as burocracias.

Segundo a empresa, o fornecedor de equipamentos pode, “em poucos segundos”, apresentar uma proposta aos seus clientes através da plataforma da Liqui.do, podendo, inclusive, “fechar o negócio naquele momento, sem necessidade de informação ou documentação adicionais”.

 

Ler mais
Relacionadas

Maiores bancos dos EUA alertam para risco crescente de recessão mundial

De acordo com o Morgan Stanley, citado pela agência financeira Bloomberg, uma recessão económica global poderia ter início dentro de nove meses caso o presidente norte-americano, Donald Trump, aumentasse em 25% as tarifas alfandegárias sobre mais exportações chinesas avaliadas em 300 mil milhões de dólares e se a China decidisse retaliar.

Goldman Sachs com quebra de 20% dos lucros no primeiro trimestre

As receitas de negociação caíram 18% para 3,61 mil milhões de dólares, com as receitas de ações a descer 24% e as de renda fixa, moedas e commodities a recuarem 11%.
Recomendadas

CEO da JP Morgan diz que criação de imposto sobre fortuna é “quase impossível”

“Não sou contra impostos mais elevados para os ricos. Mas acho que fazê-lo através dos rendimentos, em vez de calcular a riqueza, torna-se extremamente complicado, legalista, burocrático e regulatório, e as pessoas encontram um milhão de formas para escapar a essa situação”, explica Jamie Dimon.

Sindicatos bancários alertam Banco Montepio de que não vão tolerar pressões aos trabalhadores

“O SNQTB, SBN e SIB irão analisar com detalhe o plano apresentado pelo presidente da Comissão Executiva do Banco Montepio e alertam que não irão tolerar qualquer forma de pressão junto dos trabalhadores para que aceitem reformas antecipadas ou rescisões por mútuo acordo, se essa não for a sua livre vontade”, pode ler-se no comunicado.

Montepio confirma a sindicatos saída de 800 trabalhadores até 2022

Sindicatos dos bancários estão reunidos com administração do banco, depois de terem recebido ontem com surpresa a notícia de uma eventual dispensa de centenas de trabalhadores. Presidente executivo confirmou que plano de reestruturação prevê saída de 800 trabalhadores até 2022. Sindicatos dizem que “será algo de uma magnitude nunca vista na Europa”.
Comentários