Google suspende negócios com a Huawei após lista negra de Trump

A Huawei vai perder imediatamente acesso a atualizações do sistema operativo Android, e a próxima versão dos seus smartphones fora da China vai também perder acesso a aplicações e servios, incluindo o Google Play Store e o Gmail app.

A Google suspendeu todos os negócios com a Huawei que exigem a transferência de produtos de hardware e software, à exceção daqueles cobertos por licenças de código aberto, disse uma fonte próxima à agência Reuters.

Esta semana Donald Trump assinou uma ordem executiva que proíbe o uso de qualquer material da Huawei nos Estados Unidos e os resultados dessa medida já se começaram a fazer sentir, com a Google a suspender parte dos seus negócios com a gigante chinesa.

A Huawei vai perder imediatamente acesso a atualizações do sistema operativo Android, e a próxima versão dos seus smartphones fora da China vai também perder acesso a aplicações e servios, incluindo o Google Play Store e o Gmail app.

A gigante chinesa vai continuar a ter acesso à versão do sistema operativo Android disponível através da licença de código aberto que está livremente aberta e que pode ser usada por quem quiser. No entanto, a Google vai parar de fornecer qualquer suporte técnico e colaboração para a Huaweii.

Recomendadas

Parlamento anula transferência de 476,6 milhões do Fundo de Resolução para Novo Banco

O Orçamento de Estado acaba de aprovar a bandeira do Bloco de Esquerda de impedir a injeção do Fundo de Resolução dos 476,6 milhões de euros para o Novo Banco. Esta medida deixa o banco numa situação delicada para cumprir os compromissos de limpeza do balanço assumidos com Bruxelas.

AHRESP diz que Programa Apoiar pode não ser acessível a 58% do setor da restauração

A condição obrigatória que as entidades disponham de contabilidade organizada, é um requisito que pode impedir o acesso a 58% das empresas da restauração e bebidas, que são Empresários em Nome Individual (ENI), na sua esmagadora maioria inscritos no Regime Simplificado”, diz a Associação.

Mário Ferreira lança OPA sobre 70% da Media Capital. Paga 0,67 euros por ação

Na sequência de uma deliberação da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, a Pluris Investments, de Mário Ferreira, lançou uma OPA obrigatória sobre a totalidade do capital que não controla na dona da TVI.
Comentários