Governo anuncia 15 milhões de euros para comprar publicidade institucional nos media

“Este é um tempo em que precisamos, mais do que nunca, de comunicar e informar. No âmbito da saúde pública e nesta fase em que o Governo prepara o regresso progressivo à normalidade, a publicidade institucional ganha um papel mais relevante”, afirmou esta sexta-feira a ministra da Cultura.

Cristina Bernardo

O Governo alocou 15 milhões de euros para a aquisição antecipada de publicidade institucional de todos os serviços da Administração Pública nos meios de comunicação social portugueses, sendo que 25% dessa verba destina-se à imprensa regional.

“Este é um tempo em que precisamos, mais do que nunca, de comunicar e informar no âmbito da saúde pública e nesta fase em que o Governo prepara o regresso progressivo à normalidade. A publicidade institucional ganha um papel mais relevante”, afirmou esta sexta-feira a ministra da Cultura, na apresentação de medidas de auxílio ao setor dos media.

Graça Fonseca explicou que, todos os anos, o Estado investe em campanhas institucionais, mas considera que 2020 e 2021 é preciso reforçar esse investimento. Trata-se de um valor três superior ao que estava previsto antes da pandemia. “Com esta decisão (…), o Estado está a atuar em nome do interesse público em múltiplas dimensões”, disse a governante com a tutela dos media, em conferência de imprensa na Presidência do Conselho de Ministros.

Assim, o Estado irá comprar publicidade na rádio e televisão, em programas generalistas temáticos e informativos, e fazer publicações periódicas de informação geral – onde não se inclui a agência Lusa e o canal público RTP. A utilização deste espaço mediático, em articulação com o regulador (ERC), será orientado para campanhas da DGS, a favor de causas sociais e humanitárias, literacia mediática, entre outras áreas.

Na quarta-feira, a ministra da Cultura adiantou no parlamento que o Governo estava a ultimar medidas concretas para os setores de media e livreiro e confirmou que estava a trabalhar com a Associação Portuguesa de Editores e Livreiros e outro player ligado aos meios de comunicação social.

“Ao longo deste tempo temos sempre procurado fazer este caminho: primeiro, trabalhar com os diversos setores para compreender de que maneiras as medidas transversais são ou não são ajustáveis e adequadas às necessidades dos setores. E numa segunda fase trabalhar medidas setoriais, especificamente destinadas aos setores. É o que estamos neste momento a concluir com os setores dos media e a área do livro, incluindo as três componentes, escritores, editoras e livrarias”, disse, em audiência na comissão parlamentar de Cultura e Comunicação.

Notícia atualizada às 16h09

Reguladores de media querem levar Comissão Europeia a definir medidas de apoio ao setor dos media

Ler mais
Recomendadas

Marques Mendes: Governo está a demorar muito tempo a decidir sobre a TAP

O comentador político diz que a solução para a TAP no imediato vai passar por um empréstimo público ou um empréstimo privado com garantia de Estado, apontando que o Estado não vai integrar a Comissão Executiva, mas que os “poderes do Conselho de Administração serão reforçados”.

Luxair retoma voos para Faro com clientes luxemburgueses para hotéis do Grupo NAU

Cerca de 70 turistas do Luxemburgo ficaram alojados no o São Rafael Atlântico e o Salgados Dunas Suites, reabriram hoje, dia 31 de maio, as suas portas, e vão permanecer entre sete e 14 noites.

Centros comerciais vão reabrir amanhã à exceção da Área Metropolitana de Lisboa

Dos 94 centros comerciais associados da APCC, 35 são na Área Metropolitana de Lisboa, representando cerca de 50% do emprego deste subsetor de atividade.
Comentários