Governo aprova redução das portagens nas autoestradas

As reduções nos valores das portagens abrangem diversos lanços e sublanços das autoestradas nacionais.

O Governo aprovou a redução do preço das portagens em oito autoestradas e em outros seis troços de entrada em autoestradas, de acordo com o comunicado do Conselho de Ministros desta quinta-feira, 22 de outubro.

Desta forma as reduções dos valores das portagens afetam as autoestradas A13-1, A22, A23, A24, A25, A28, A29 e A42, bem como nos troços A4 – Sendim/Águas Santas, A4 – Túnel do Marão, A4 – Vila Real-Bragança (Quintanilha), A13 – Atalaia (A23)/Coimbra Sul e A17 – Mira/Aveiro Nascente (IP5).

O Executivo liderado por António Costa determinou que o modelo de desconto no valor das portagens prevê uma redução de 25% para os veículos de classe 1 e 2, desde o oitavo dia de utilização num mês. “Este desconto vai incidir sobre determinados lanços ou sublanços de 10 vias: A22 – Algarve; A23 – IP; A23 – Beira Interior; A24 – Interior Norte; A25 – Beiras Litoral e Alta; A28 – Norte Litoral; A4 – Subconcessão AE transmontana; A4 – Túnel do Marão; A13 e A13-1 – Subconcessão do Pinhal Interior”, lê-se no comunicado governamental.

Terá lugar também um aumento do desconto para veículos de transporte de mercadorias, tendo em conta que “o atual desconto de 30% durante o dia e 50% durante a noite sobe, respetivamente, para 35% e 55%”.

Pela primeira vez, o Governo alargou o regime de desconto ao transporte de passageiros para incentivar o uso do transporte coletivo. Assim, “os lanços ou sublanços abrangidos para transportes de mercadorias e de passageiros incluem-se nas dez vias descritas anteriormente, às quais se juntam a concessão do Grande Porto (A4, A41 e A42) e concessões Costa da Prata (A17, A25 e A29), harmonizando os regimes de descontos vigentes”.

Recomendadas

João Ferreira: “Marcelo sujeitou os jovens a uma vulnerabilidade acrescida”

Nos últimos anos, a ação de Marcelo sujeitou os jovens a uma vulnerabilidade acrescida, por exemplo alargando o período experimental. Os Governos não têm governado de acordo com a Constituição”, considerou o atual eurodeputado em entrevista à TVI.
ana_catarina_mendes_ps

PS propõe “medidas de estímulo positivas” para travar desequilibro de género agravado pela Covid-19

O grupo parlamentar socialista considera que é preciso promovam o equilíbrio de género no recurso ao teletrabalho e atrair mulheres para os setores do digital e da energia, para que “não ficarem para trás no processo de transição digital e verde”.

Tempo está esgotar-se para um Brexit com acordo, alertam Reino Unido e Bruxelas

Boris Johnson, primeiro-ministro britânico, afirmou que chegar a um acordo seria “preferível”, mas avisa que o Reino Unido prosperaria na mesma caso não fosse alcançado.
Comentários