Governo chinês vai investir mais de 8 mil milhões de euros para conter coronavírus

Pequim decidiu alargar o feriado nacional alusivo ao ano novo chinês com o objetivo de manter as pessoas em casa e diminuir o risco de contágio.

O Governo de Pequim aprovou oito mil milhões de euros com o propósito de travar o coronavírus, avança a Reuters. As celebrações do ano novo chinês, marcadas para o passado dia 25 de janeiro, foram canceladas mas o feriado nacional foi estendido, com o objetivo de manter as pessoas em casa e reduzir o número de infeções.

O coronavírus já reclamou a vida a 81 pessoas na China, com o número de pessoas infetadas a atingir a marca dos três mil.

O país mais populoso do mundo contínua parado. As autoridades de Xangai ordenaram que todos os negócios, à exceção dos hospitais, permanecessem encerrados até dia 10 de fevereiro. Esta medida foi adotada por várias outras províncias por toda a China que, mantém o estado de emergência e, aguardam por novos aconselhamentos.

No resto do mundo a situação está a ser acompanhada em grande detalhe, com avisos a serem emitidos em quase todos os continentes, a desaconselhar viagens para território chinês. Entretanto já foram confirmados 44 casos de pessoas infetadas pelo coronavírus fora da China, na Tailândia, Estados Unidos, Austrália, Singapura, Taiwan, Malásia, Coreia do Sul, França, Japão, Vietname, Nepal e Canadá.

Recomendadas

Contribuintes podem comunicar agregado familiar e atualizar dados até dia 21

Em informação enviada à Lusa, o Ministério das Finanças explicou que “o prazo legalmente previsto termina no dia 15 [sábado]. No entanto, os dados que forem comunicados por essa via até ao final do próximo dia 21 de fevereiro ainda serão considerados pela AT”.

Prazo para declarar vencimento de trabalhadores domésticos termina hoje

Aqui incluem-se os de empregadas domésticas ou rendimentos empresariais e profissionais de contribuintes abrangidos pelo regime fiscal dos ex-residentes.

Deco critica Banco de Portugal e pede intervenção política sobre comissões na MB Way

Pedido aos partidos com assento parlamentar deve-se à “inoperância” do supervisor bancário face às mais de 33 mil reclamações que a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor recebeu.
Comentários