Governo decreta encerramento de discotecas, e menos pessoas nos restaurantes, centros comerciais e serviços públicos

O primeiro-ministro anunciou também os passageiros de navios de cruzeiro não podem desembarcar e que as visitas a lares de idosos vão ter limitações.

Cristina Bernardo

O Governo decretou hoje o encerramento de discotecas, e reduzir o número de pessoas em centros comerciais e serviços públicos. O Executivo também decidiu que os passageiros de cruzeiros em Portugal não podem desembarcar no país, à exceção dos residentes no país.

Já os restaurantes vão reduzir em um terço a sua lotação para diminuir o risco de contágio. Também as visitas a lares de idosos vão passar a estar restringidas.

As medidas foram anunciadas pelo primeiro-ministro, António Costa, esta quinta-feira, 12 de março, depois de ouvidos todos os partidos políticos.

O governante também anunciou “medidas especiais” que “serão adotadas para apoiar os profissionais de saúde, de forças de segurança, de serviços de emergência e de todos os profissionais que também tendo filhos são absolutamente imprescindíveis à continuidade do funcionamento e a sua atividade para garantir o bom funcionamento do Serviço Nacional de Saúde, a segurança de todos, e o socorro que é absolutamente essencial, e para quem precisa de encontrar medidas alternativas ao apoio residencial”, afirmou António Costa.

Recomendadas

Exportações agroalimentares sobem 0,4% até junho para 3.285 milhões de euros

Só em junho, as exportações progrediram 5,2% para 552 milhões de euros, em comparação com o mesmo mês do ano anterior, enquanto as importações recuaram 0,7% para 801 milhões de euros.

Processamento de vistos nacionais volta a estar disponível

O Ministério dos Negócios Estrangeiros confirmou ainda que o serviço para pedidos de visto nacionais pode ser feito nas “línguas portuguesa, inglesa, francesa, russa e ucraniana”

“Julho evidencia travagem na recuperação das viagens e do turismo”, alerta a EY/Parthenon

A quarta edição do “Caderno de Notas” da EY/Parthenon, sobre “A crise económica da Covid-19” – divulgada esta sexta-feira, 7 de agosto – um trabalho elaborado com a supervisão e direção científica de Augusto Mateus, strategic consultant da EY Portugal, traça a análise da crise económica ao quinto mês da pandemia.
Comentários