Governo diz que circulação de emigrantes é prioridade nas negociações com Europa

O ministro da Administração Interna disse hoje que no âmbito das medidas que estão a ser negociadas a nível europeu, a prioridade nacional está relacionada com a circulação dos emigrantes nos meses de verão.

Cristina Bernardo

“Há uma dimensão, que é uma dimensão europeia. Para nós, a prioridade é a circulação dos nossos cidadãos que possam, vindos do resto da Europa, de França, da Suíça, da Alemanha, com certeza, vir passar o seu verão a Portugal, voltando às suas terras e promovendo também aquilo que é a dimensão de animação da economia local”, disse hoje Eduardo Cabrita.

O governante falava aos jornalistas na fronteira de Vilar Formoso, no concelho de Almeida, distrito da Guarda, após uma visita ao Centro de Cooperação Policial e Aduaneira (CCPA), onde se inteirou da atividade realizada desde que foram repostas as fronteiras.

Sobre o assunto, Eduardo Carita referiu: “Com preocupações de salvaguarda de distanciamento físico, utilizando regras de etiqueta respiratória e de higiene no uso das instalações, mas os resultados positivos que temos vindo a consolidar permitem-nos olhar para um verão com emigrantes em Portugal”.

O ministro disse ainda que o país tem de “consolidar” os resultados positivos registados mas, também, “gradualmente permitir condições que permitam aos portugueses vir até Portugal”, de acordo com a estratégia definida pela Comissão Europeia.

Disse ainda esperar que essa estratégica possa permitir “um gradual alargamento das possibilidades de circulação”, em primeiro lugar nas fronteiras internas (aéreas e terrestres) dentro da União Europeia e, numa segunda fase, de fronteiras para fora da União Europeia.

O controlo das fronteiras terrestres com Espanha está a ser feito desde as 23:00 do dia 16 de março em nove pontos de passagem autorizada, devido à pandemia da covid-19.

Os pontos de fronteira em funcionamento são Valença-Tuy, Vila Verde da Raia-Verín, Quintanilha-San Vitero, Vilar Formoso-Fuentes de Oñoro, Termas de Monfortinho-Cilleros, Marvão-Valência de Alcântara, Caia-Badajoz, Vila Verde de Ficalho-Rosal de la Frontera e Castro Marim-Ayamonte.

No âmbito do controlo das fronteiras, estão impedidas as deslocações turísticas e de lazer entre os dois países, sendo apenas permitida circulação de transportes de mercadorias e de trabalhadores transfronteiriços.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou quase 330 mil mortos e infetou mais de 5,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,9 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.289 pessoas das 30.200 confirmadas como infetadas, e há 7.590 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Ler mais
Recomendadas

“Se tivéssemos encerrado o país mais cedo…”. Epidemiologista sueca deteta erros na gestão da pandemia

Uma das razões para que Annika Linde se viesse a retratar de declarações anteriores deveu-se ao facto da Suécia ter registado a maior taxa de mortalidade per capita do mundo durante dois dias seguidos, tendo passado as quatro mil vítimas mortais.

Especialistas defendem que união fiscal é chave para a união política europeia

No Webinar “O futuro da União Europeia”, uma iniciativa da Antas da Cunha ECIJA, Ana Gomes defendeu que “as questões da fiscalidade têm de passar a ser assumidas como uma questão europeia. A questão de recursos próprios europeus que dependem de impostos europeus, que não sejam o IVA — temos 50 mil milhões de euros de receitas de IVA por ano a financiarem organizações mafiosas e terroristas”, é importante.

Microsoft alerta utilizadores para esquema de fraudes via email

Os piratas informáticos fazem-se passar por docentes do Centro de Segurança em Saúde da Universidade Johns Hopkins (Estados Unidos), aliciando os utilizadores a clicarem num ficheiro de Excel falso.
Comentários