PremiumGoverno espera retoma “vigorosa” a partir de junho, mas empresários estão céticos

Governante admite novo tombo da economia no primeiro trimestre que economistas estimam menor do que na primavera de 2020. E sinaliza retoma ainda este ano apesar de pessimismo de empresários.

O novo confinamento geral irá provocar um tombo da economia portuguesa no primeiro trimestre, mas os economistas ouvidos pelo Jornal Económico (JE) referem que a dimensão será menor do que na última primavera. Em declarações ao JE, o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, não esconde o impacto das novas medidas para combater a pandemia, contudo acredita num segundo semestre com um crescimento “vigoroso”. E sinaliza a importância do reforço dos apoios às empresas numa altura em que empresários e gestores revelam estar pessimistasquanto ao futuro de Portugal com mais de 66% a sinalizarem este estado de espírito, segundo o barómetro de janeiro da ACEGE – Associação Cristã de Empresários e Gestores, numa parceria com o Jornal Económico, a Rádio Renascença e a Netsonda.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Mais de metade das empresas com quebras no volume de negócios em 2020

Três quartos das empresas do alojamento e restauração registaram perdas no volume de negócios, enquanto mais de metade das empresas nos sectores dos transportes, serviços gerais, grossistas, retalho e indústrias apresentaram quebras.

Produção de calçado em Portugal caiu 13,2% em 2020

“Em 2020, o painel de especialistas inquirido pela publicação (‘World Footwear Experts Panel’) apontava para uma quebra no consumo mundial de calçado superior a 20%”, notou a APICCAPS.

AHRESP saúda reposição de horários e insiste na reabertura da animação noturna

“Dada a situação pandémica e os meios que hoje temos para a controlar, julgamos ser possível estabelecerem-se condições para a respetiva reabertura” das discotecas, apela a associação.
Comentários