Governo está a avaliar 52 candidaturas de projetos de inovação na administração pública

A ministra da Presidência e da Modernização Administrativa participa na conferência “Construir hoje a Administração Pública do Futuro”, onde defendeu que o Estado tem de ser mais eficiente.

Cristina Bernardo

O governo está a avaliar 52 projetos de inovação na administração pública, disse a ministra da Presidência e da Modernização Administrativaesta, quarta-feira, 27 de junho, numa conferência sobre  a administração pública do futuro, que decorre em Lisboa.

“Todos sentimos que a inovação nos é pedida por muito dos utilizadores dos serviços públicos, tais como recebem de outros serviços privados (…). Hoje temos tecnologias que nos permitem andar mais depressa”, disse Maria Manuel Leitão Marques.

Na sessão de abertura da conferência “Construir hoje a Administração Pública do Futuro”, integrada no ciclo de encontros organizado pelo INA -Direção-Geral da Qualificação dos Trabalhadores em Funções Públicas, a governante defendeu que o Estado tem de ser mais eficiente. “Precisamos de ganhar eficiência, porque gerimos os impostos dos cidadãos” e de “incorporar mais inovação no dia a dia, como sempre foi no setor privado”, disse. “Não podemos ficar atrás”, salientou.

Segundo a ministra, existem “52 candidaturas que estão agora a ser avaliadas” sobre projetos de inovação. “Quem inova mais depressa também falha e temos que aprender a falhar (…) Podemos ser mais inovadores atraindo mais ideias de dentro e fora da administração”, afirmou.

Maria Manuel Leitão Marques explicou ainda que foi desta forma que o Governo construiu “o Simplex”. O Executivo português frisou que pretende continuar “a aprofundar e atrair a inovação” e que esta “não pode ser apenas um evento, prémios”, mas sim “o novo normal dentro da Administração Pública”.

 

Ler mais

Relacionadas

Autoridade da Concorrência vai ter palavra a dizer sobre leis do Governo ou do Parlamento

As linhas de orientação para aplicação de um procedimento de avaliação de impacto concorrencial encontram-se em consulta pública até 28 de junho.

Eduardo Cabrita considera que a descentralização “é decisiva” para a melhoria das políticas públicas

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, insistiu hoje, na Figueira Foz, na ideia de que a descentralização de competências para o poder local é “decisiva” para a melhoria das políticas públicas. “Estamos a viver um momento que não pode ser desperdiçado”, sublinhou o governante.

António Costa: “A verdadeira reforma do Estado são estes 11 anos de ‘Simplex’”

Do “Simplex+” para 2018 destaca-se a introdução de um robô no atendimento ao público em “lojas do cidadão”, a agilização da emissão de faturas, a criação de uma plataforma “online” visando a promoção e divulgação de empresas portuguesas no estrangeiro, a alteração do procedimento para a atribuição do abono de família, entre outras medidas, de um total de 175 a aplicar este ano.
Recomendadas

Agricultura de precisão é o caminho de futuro

Sensores de rega gota a gota, utilização de GPS, crescente informatização dos processos produtivos e de logística são as tendências do setor da agricultura em Portugal. Conheça os desafios e os projetos.

Goldman Sachs prevê contração da economia norte-americana em 4,6% este ano

Os economistas do banco reviram em baixa as estimativas para a evolução do PIB dos Estados Unidos. No entanto, melhoraram as previsões para a taxa de desemprego.

CFP afasta cenário de recuperação económica rápida

Em entrevista à ‘Antena 1’ e ‘Jornal de Negócios’, Nazaré da Costa Cabral voltou ainda a falar sobre o Orçamento Suplementar:“Há aqui uma perspetiva de subestimação da queda do produto e de certas das suas componentes que podem comprometer a cobrança de receita fiscal”.
Comentários