Governo “insiste que devem ser emitidas baixas falsas aos professores”, acusam médicos

Baseando-se numa entrevista de Tiago Brandão Rodrigues à “RTP” e “Antena 1”, considera o SIM que “o ministro da Educação referiu que os professores considerados de risco poderão, por decisão dos médicos, ter uma baixa médica ou uma declaração médica, deixando assim implícito que os professores considerados de risco poderão, apenas por esse motivo, ter direito a baixa”.

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) considerou que o Governo, nomeadamente o Ministério da Educação, continua a insistir na “ideia que devem ser emitidas baixas falsas aos professores que pertencem a grupos de riscos”.

Baseando-se numa entrevista de Tiago Brandão Rodrigues à “RTP” e “Antena 1”, considera o SIM que “o ministro da Educação referiu que os professores considerados de risco poderão, por decisão dos médicos, ter uma baixa médica ou uma declaração médica, deixando assim implícito que os professores considerados de risco poderão, apenas por esse motivo, ter direito a baixa”.

Explica o SIM em comunicado que o Ministério da Educação já foi esclarecido que “pertencer a grupo de risco não é condição para emissão
de Certificado de Incapacidade Temporária para o Trabalho, vulgarmente conhecido como baixa médica. A emissão de baixa nestas situações corresponderia a uma baixa falsa ou baixa fraudulenta”.

“Conforme estabelecido pelo Artigo 25.º-A do Decreto-Lei n.º 10-A/2020, aditado pelo Decreto-Lei n.º 20/2020, para trabalhadores considerados de risco que não podem desempenhar a sua atividade em regime de teletrabalho, a falta ao trabalho é justificada mediante declaração médica, devendo essa declaração atestar a condição de saúde do trabalhador que justifica a sua especial proteção”, esclarece o SIM.

 

Recomendadas

Costa de Portugal continental e Madeira sob aviso amarelo devido à agitação do mar

O aviso amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.
eleições_legislativas_voto_urna_votar

Eleições Açores: Parlamento regional com representantes de sete forças políticas

Com uma percentagem idêntica e apenas menos oito votos, o PAN chegou também pela primeira vez ao parlamento regional, com um parlamentar.

Eleições Açores: Abstenção foi de 54,58%, inferior à de 2016

Em 2016, a abstenção nas eleições regionais açorianas atingiu 59,16%, um recorde absoluto nestes sufrágios, superando os 53,34% de abstenção em 2008, que era até então o valor mais elevado.
Comentários