PremiumGoverno intensifica nomeações de militantes do PS para altos cargos

Dezenas de nomeações para cargos dirigentes são um fenómeno crescente nos últimos meses e que deverá ainda acentuar-se em ano de eleições.

À medida que se aproximam as eleições legislativas de outubro de 2019, aumentam as nomeações de militantes do PS para cargos dirigentes da Administração Pública. O Jornal Económico verificou as nomeações publicadas em “Diário da República” (o anterior Governo liderado por Pedro Passos Coelho compilava todas as nomeações no respetivo portal, promovendo a transparência; o atual Governo liderado por António Costa eliminou essa funcionalidade no portal, dificultando o escrutínio) e identificou dezenas de casos.

É uma tendência crescente nos últimos meses e, tendo em atenção os procedimentos concursais em curso na Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (CReSAP), deverá acentuar-se em pleno ano eleitoral (não apenas legislativas, mas também europeias e regionais). O crivo da CReSAP não tem impedido a escolha de militantes do PS por ministros de um Governo do PS, desde logo porque a CReSAP seleciona três candidatos, em plano de igualdade (mesmo que tenham diferentes níveis de avaliação curricular e de competência para exercer o cargo), cabendo ao governante a decisão final.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

PremiumFuturo chegou mais cedo e acelerou a transição digital

As seis conferências do ciclo JE/Huawei permitiram debater o papel da tecnologia na retoma da economia e o seu potencial em áreas como Educação, Saúde, Indústria, Sustentabilidade e Media.

PremiumMecenas financiam projeto de formação de sete milhões de euros

Banco Santander, Vanguard Properties, empresária Ming C. Hsu, Amaral y Hijas, bi4all, família Alves Ribeiro e Fundação José Neves são doadores, revela Pedro Santa Clara, Diretor da 42 ao Jornal Económico.

PremiumNuno Moreira: “Os projetos do ‘hidrogénio verde’ não são megalómanos”

O presidente executivo da Dourogás diz que a dimensão dos projetos de ‘hidrogénio verde’ é adequada às condições de mercado de Portugal e que, a curto prazo, o preço deste combustível tenderá a aproximar-se ao preço do gás natural.
Comentários