Governo italiano deverá assumir controlo da companhia aérea Alitalia

A Alitalia luta há vários anos com problemas financeiros, apesar de uma injeção extra de 400 milhões de euros decidido pelo Executivo no início deste ano.

O governo italiano prepara-se para assumir o controlo total da Alitalia, já que o surto de coronavírus na Europa fez cais os planos para ser encontrado um comprador para a companhia aérea nacional, informa a agência “Reuters” este domingo, citando o jornal italiano “Il Messaggero”.

Roma já tinha estabelecido um prazo até 31 de maio para concluir a venda da companhia aérea, com os potenciais investidores solicitados a terem de mostrar as suas manifestações de interesse até 18 de março.

Uma fonte próxima do processo disse à “Reuters” que a Alitalia, luta há vários anos com problemas financeiros, apesar de uma injeção extra de 400 milhões de euros decidido pelo Executivo no início deste ano. A Alitalia não fez qualquer tipo de comentários sobre o assunto.

A ministra dos Transportes, Paola De Micheli, disse este mês que o Governo queria acelerar o processo de venda após a disseminação do vírus, o que levou ao colapso do tráfego aéreo. Dadas as difíceis condições do mercado, é improvável que a União Europeia se oponha a uma intervenção do Estado na companhia aérea, que atualmente emprega 11 mil pessoas.

O jornal “La Repubblica” revela este domingo que Roma estava a planear uma intervenção imediata a favor da indústria dos transportes aéreos no valor de 500 milhões de euros, seguida de outras medidas no valor de três mil milhões de euros, que ajudariam a nacionalizar a Alitalia.

Recomendadas

“Sobreviver a Pão e Água”. “Centenas” de membros do movimento dispostos a regressar à greve de fome se Governo não aprovar medidas exigidas

Movimento diz que Governo disse que iria apresentar em breve várias das medidas por si exigidas. Se até dia 11 de dezembro, não apresentar as restantes medidas ameaçam que com o regresso à greve de fome em frente ao Parlamento e por todo o país, com “mais de uma centena de pessoas”.

Sindicato denuncia que Ryanair se prepara para despedir 23 tripulantes no Porto enquanto abre processo de recrutamento

O SNPVAC denuncia que, ao mesmo tempo que a companhia aérea avança para o despedimento coletivo, já está a realizar cursos para novos tripulantes “violando grosseiramente o Código de Trabalho”, segundo o sindicato.

Costa adia anúncio de medidas de apoio para as rendas do comércio e da restauração

A 21 de novembro, o primeiro-ministro anunciou que as medidas de apoio para as rendas de lojas e restaurantes seria anunciada nos dias seguintes. Passados 15 dias, o Governo ainda não anunciou os apoios e adiou para a próxima semana.
Comentários