Governo vai criar 500 vagas no Ensino Superior para alunos em zonas desfavorecidas (com áudio)

Esta é uma medida que já estava prevista no Plano Nacional de Combate ao Racismo e à Discriminação 2021-2025, que esteve em discussão pública entre maio e abril.

O Governo vai criar, no próximo ano letivo 2022/2023, 500 vagas extras no Ensino Superior e em cursos técnicos profissionais para alunos que venham de zonas desfavorecidas e que se encontrem no programa Territórios Educativos de Intervenção Prioritária (TEIP), avança o “Público” esta quarta-feira.

Esta é uma medida que já estava prevista no Plano Nacional de Combate ao Racismo e à Discriminação 2021-2025, que esteve em discussão pública entre maio e abril, sendo hoje conhecidos os números exatos de vagas com o decreto a ser publicado em Diário da República.

De acordo com o “Público”, o objetivo do Governo é criar agora as 500 vagas e aumentá-las nos próximos anos letivos até chegar aos dois mil lugares extras em 2025. Além deste valor, o Governo também estipulou um contingente de 12 alunos de escolas TEIP nos cursos de especialização tecnológica do Turismo de Portugal em 2022, passando para 36 lugares até 2025.

Recomendadas

Fenprof estima que mais de 100 mil alunos não tenham os professores todos

Segundo a Federação Nacional dos Professores, o problema esta longe de resolvido. “A tendência, nestes dias, não tem sido para a redução, mas para o aumento do número de horários não preenchidos”, afirma, esta quarta-feira, a estrutura liderada por Mário Nogueira.

Aspirantes a cientistas do colégio luso-francês do Porto ganham prémio europeu

Entre os muitos temas de investigação apresentados este ano contam-se a computação quântica, células solares inovadoras e uma investigação estatística sobre os estereótipos de género nas crianças dos cinco e os sete anos. 

Ensino superior. Abertas candidaturas para bolsas de estudo no valor de 94 milhões (com áudio)

As bolsas destinam-se a alunos carenciados, que podem apresentar a sua candidatura até 30 de setembro através do formulário eletrónico no Balcão de Portugal 2020.
Comentários