Governo vai reunir com sindicatos da Soflusa para “encontrar uma solução definitiva para a suspensão da greve”

O Governo vai reunir com os sindicatos dos trabalhadores fluviais durante a tarde desta sexta-feira. As greves da Soflusa têm afetado milhares de utentes da travessia fluvial entre o Barreiro e Lisboa. A reunião pretende “encontrar uma solução definitiva para a suspensão da greve dos mestres”.

Soflusa

Os mestres da Soflusa, empresa fluvial que faz a ligação entre a margem norte e sul do Tejo, estão a fazer greve desde o início do mês de maio. As queixas destes trabalhadores passam pela contratação de mais profissionais e querem ainda uma vantagem salarial apenas para a sua categoria.

Com uma nova greve marcada para os dias 3 e 7 de junho, o secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade, José Mendes, vai reunir-se com os sindicatos dos trabalhadores da Soflusa, durante a tarde desta sexta-feira. A reunião pretende, segundo o comunicado enviado às redações, “encontrar uma solução definitiva para a suspensão da greve dos mestres da empresa de transporte fluvial”.

Numa reunião prévia com estes sindicatos, o secretário de Estado referiu que a pretensão de um aumento salarial apenas para a categoria de mestres, coloca em causa o equilíbrio das diferentes categorias profissionais, afirmando que a greve “não corresponde a uma lógica coletiva que tem presidido a todas as negociações salariais na Soflusa”.

José Mendes referiu então que a pretensão dos mestres coloca em causa o equilíbrio das diferentes categorias profissionais a bordo do navio, frisando que a greve “não corresponde a uma lógica coletiva que tem presidido a todas as negociações salariais na Soflusa”. José Mendes defendeu que os mestres já auferem de um prémio de chefia e que querem esse prémio “fortemente valorizado”, sublinhando que não está “aberta qualquer negociação salarial”.

O governante responsável pela pasta da Mobilidade, prometeu “reforçar os recursos humanos na Soflusa”, contratando “até seis novos recursos”, aos quais acrescem os quatros já contratados que deram origem à abertura de um concurso interno para quatro meses.

Recomendadas

Dados da ‘fintech’ do grupo Alibaba vão ser integrados no banco central chinês

A imprensa chinesa informou anteriormente que muitos dos utilizadores do serviço de pagamento receberam um aviso através da aplicação móvel, instando-os a aceitar os novos termos de utilizador, que incluem partilhar as suas informações de crédito com o Banco Popular da China (banco central).

Plano de recuperação da Groundforce vai avançar

A elaboração do plano fica a cargo dos dois administradores de insolvência, Pedro Pidwell e Bruno Costa Pereira, que vão receber uma remuneração de 25 mil euros cada um para executar a tarefa.

Credores da Groundforce aprovam por unanimidade manutenção da atividade da empresa

Na assembleia desta quarta-feira estavam representados 2.041 credores, cujos créditos ascendem a 137 milhões de euros.
Comentários