Greve na Transtejo/Soflusa desconvocada

A paralisação, agendada para a partir de terça-feira, foi hoje suspensa, na sequência da subscrição de um protocolo negocial entre a administração da empresa e os sindicatos.

A greve dos trabalhadores da Transtejo/Soflusa, agendada para a partir de terça-feira, foi esta segunda-feira suspensa, na sequência da subscrição de um protocolo negocial entre a administração da empresa e os sindicatos.

“Vamos iniciar negociações, com todos os trabalhadores em pé de igualdade”, avançou à Lusa Alexandre Delgado, do Sindicato da Mestrança e Marinhagem da Marinha Mercante, Energia e Fogueiros de Terra (SITEMAQ), estrutura sindical que tinha apresentado o pré-aviso de uma greve parcial, de duas horas por turno, entre terça-feira e quinta-feira.

No âmbito das negociações, a próxima reunião entre a administração da empresa e os sindicatos de trabalhadores da Transtejo/Soflusa vai realizar-se em 28 de junho, indicou Alexandre Delgado, referindo que, até chegarem a acordo sobre a revisão salarial de todos os trabalhadores, está suspenso o prémio de 60 euros atribuído aos mestres dos navios.

Presente na reunião, o coordenador da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (FECTRANS), José Manuel Oliveira, disse que foi subscrito um protocolo negocial que vai servir de base para as negociações, no sentido de encontrar uma solução equilibrada para todos os trabalhadores da empresa.

Recomendadas

Taxas Euribor renovam mínimos de sempre a três, seis e 12 meses

Taxa Euribor a seis meses desceu esta quarta-feira para -0,357%, novo mínimo de sempre e menos 0,007 pontos do que na sessão anterior.

Belgas em negociações para comprarem participação maioritária na Webhelp por 2,4 mil milhões

O grupo Webhelp está presente em Portugal desde 2015, contando, atualmente com um escritório em Lisboa e outro em Braga e empregando mil trabalhadores. O contact center de origem francesa já investiu quatro milhões nos dois escritórios e a sua operação em terras lusas representou em 2018 um volume de negócios de 26,7 milhões.

Crédito Agrícola é o primeiro banco português a disponibilizar o Apple Pay

O banco garante que a utilização desta funcionalidade não tem qualquer custo para o utilizador e a aceitação de pagamentos através do Apple Pay não representa custos adicionais para o comerciante.
Comentários