Grupo Bomporto vai construir hotel em frente ao Porto

Serão 107 quartos mesmo em frente ao Património da Humanidade – dos quais metade serão em regime de apartamentos residenciais independentes. O complexo ocupará casario antigo edificado a poucos metros do rio.

A melhor forma de ver a beleza do Porto é a partir de Gaia, costumam dizer os turistas – e os responsáveis do Hotel Yetman, da The Fladgate, também. É possivelmente com essa intenção que o grupo Momporto Hotels vai lançar a construção do Hotel Rebello – que prevê a conversão de vários edifícios de grandes armazéns em frente às margens do rio Douro em Gaia, com vista para o Porto.

Segundo a empresa, o Rebello englobará 107 quartos – metade dentro do hotel e metade como apartamentos residenciais independentes. Apresenta apartamentos de T0 a T3 duplex, com áreas de 32 a 196 metros quadrados. Haverá dois restaurantes, um spa com piscina interior e exterior e um bar no terraço, com vistas sobre o rio para a cidade do Porto.

Os restaurantes serão geridos pelo chef português Miguel Castro e Silva. Segundo a empresa, todo o espaço foi concebido para respeitar e sublinhar o seu património distintivo; ou seja, quartos com tetos altos e enormes janelas industriais, apartamentos em estilo loft e vistas para o rio.

O hotel ficará a não mais que cinco minutos a pé do das principais as casas portuárias vintage, do cluster de restaurantes e bares de Gaia e de parte das caves de Vinho do Porto. O hotel deverá abrir em 2020.

O grupo tem vários outros hotéis no mercado nacional. O Lumiares, um boutique hotel e spa, no coração da zona do Bairro Alto, em Lisboa, com quartos de estilo apartamento entre studio ao penthouse. O hotel acolhe o Lumi Rooftop, o restaurante e bar no último andar, aberto todo o dia. No rés-do-chão encontra-se o Mercado Café do chef Miguel Castro e Silva. Já o Hotel Baronesa ocupa um antigo palácio e antiga casa dos Barões de Alvito, a poucos minutos do Lumiares Hotel. Por último, o The Bomporto Hotels comprou o The Vintage Lisboa Hotel, agora The Vintage Lisbon, em Lisboa, naquela que é a primeira incursão do grupo na hotelaria tradicional.

Recomendadas

34 anos depois, Wall Street volta a ‘vestir’ Levi Strauss. Regresso com subida superior a 30%

Para regressar aos mercados, a empresa colocou em circulação 36,66 milhões de ações, que chegaram aos investidores com um preço fixado de 17 dólares por título, um valor superior ao valor de referência fixado na oferta de saída que se situava entre os 14 e os 16 dólares.

Grupo Sonae investiu 1,2 mil milhões em 2018

O grupo não está preocupado com a entrada da Mercadona no território nacional – “já enfrentámos franceses e alemães”. E, por outro lado, ainda não desistiu de todo do IPO que, em 2018, não conseguiu levar por diante com a Sonae MC.

Economia digital: faturação das PME portuguesas atingiu os 97 milhões de euros

Segundo um estudo da PayPal, a internet permite que as pequenas e médias empresas acedam a “mais de 4,1 mil milhões de clientes de todo o mundo”. Ficou comprovado que a faturação das pequenas empresas portuguesas, sustentadas na economia digital, aumentou mais de 19% entre 2016 e 2017, para mais de 97 milhões de euros.
Comentários