Grupo Bomporto vai construir hotel em frente ao Porto

Serão 107 quartos mesmo em frente ao Património da Humanidade – dos quais metade serão em regime de apartamentos residenciais independentes. O complexo ocupará casario antigo edificado a poucos metros do rio.

A melhor forma de ver a beleza do Porto é a partir de Gaia, costumam dizer os turistas – e os responsáveis do Hotel Yetman, da The Fladgate, também. É possivelmente com essa intenção que o grupo Momporto Hotels vai lançar a construção do Hotel Rebello – que prevê a conversão de vários edifícios de grandes armazéns em frente às margens do rio Douro em Gaia, com vista para o Porto.

Segundo a empresa, o Rebello englobará 107 quartos – metade dentro do hotel e metade como apartamentos residenciais independentes. Apresenta apartamentos de T0 a T3 duplex, com áreas de 32 a 196 metros quadrados. Haverá dois restaurantes, um spa com piscina interior e exterior e um bar no terraço, com vistas sobre o rio para a cidade do Porto.

Os restaurantes serão geridos pelo chef português Miguel Castro e Silva. Segundo a empresa, todo o espaço foi concebido para respeitar e sublinhar o seu património distintivo; ou seja, quartos com tetos altos e enormes janelas industriais, apartamentos em estilo loft e vistas para o rio.

O hotel ficará a não mais que cinco minutos a pé do das principais as casas portuárias vintage, do cluster de restaurantes e bares de Gaia e de parte das caves de Vinho do Porto. O hotel deverá abrir em 2020.

O grupo tem vários outros hotéis no mercado nacional. O Lumiares, um boutique hotel e spa, no coração da zona do Bairro Alto, em Lisboa, com quartos de estilo apartamento entre studio ao penthouse. O hotel acolhe o Lumi Rooftop, o restaurante e bar no último andar, aberto todo o dia. No rés-do-chão encontra-se o Mercado Café do chef Miguel Castro e Silva. Já o Hotel Baronesa ocupa um antigo palácio e antiga casa dos Barões de Alvito, a poucos minutos do Lumiares Hotel. Por último, o The Bomporto Hotels comprou o The Vintage Lisboa Hotel, agora The Vintage Lisbon, em Lisboa, naquela que é a primeira incursão do grupo na hotelaria tradicional.

Recomendadas

Mercadona procura quota de vendas superior a 10% em Portugal

Se replicar o êxito de Espanha, onde garante 25% das receitas com 17% da área comercial, grupo de Juan Roig vai chegar ao topo do mercado interno.

Farfetch: “Vamos reinvestir as margens do crescimento agressivo da empresa”

José Neves, fundador da Farfetch, está satisfeito com os resultados obtidos pela empresa, tal como foi como foi prometido ao mercado. O foco está em continuar a crescer e não na rentabilidade imediata.

Corte de 462 mil euros no orçamento da Agência Lusa pode provocar despedimentos

Em causa está a decisão do Governo, que controla a participação maioritária da agência detida em 50,14% pelo Estado, de cortar na rúbrica Fornecimentos e Serviços Externos do orçamento da Agência Lusa
Comentários