PremiumGrupo Espírito Santo tem 884 milhões em fazendas no Paraguai

Família Espírito Santo é dona de seis propriedades com mais de 130 mil hectares – duas vezes a ilha da Madeira – a salvo da justiça portuguesa. Gestor de insolvência no Luxemburgo mandatou a Deloitte para encontrar comprado. Império da família portuguesa no Paraguai começou a ser construído em 1976, com o apoio do Banco Mundial.

Rafael Marchante/Reuters

É no Paraguai que está guardado um dos maiores “tesouros” do Grupo Espírito Santo (GES). São seis propriedades gigantescas, com uma área superior a 130 mil hectares – o que equivale quase a duas ilhas da Madeira.

Estas propriedades agrícolas começaram a ser compradas há mais de 40 anos, em 1976, numa altura em que a terra quase não tinha valor no Paraguai, durante a ditadura de Stroessner.

Esta notícia pode ser lida na sua totalidade na edição desta semana do Jornal Económico (acesso pago).

Mas hoje, segundo as imobiliárias que operam neste mercado da América Latina, o seu valor pode variar entre 391 milhões e mil milhões de dólares (respetivamente, cerca de 345 milhões de euros a 884 milhões de euros).

 

Relacionadas

PremiumEspírito Santo têm 884 milhões de euros em fazendas no Paraguai

Seis propriedades detidas pelo Grupo Espírito Santo, com mais de 130 mil hectares, distribuídas pelo meio da América do Sul, podem valer até 884 milhões de euros e não se encontram sob o arresto dos tribunais.
Recomendadas

COTEC Portugal lamenta morte de João Vasconcelos, “o autor do futuro”

“Na memória da sua curta vida, João Vasconcelos é um autor do futuro, com contribuição inigualável para o progresso da inovação empresarial, o empreendedorismo e as políticas públicas”, diz a COTEC, liderada por Jorge Portugal.

CGD: BE questiona EY sobre créditos aprovados com base em “concorrência de mercado”, apesar de pareceres negativos

A responsável da auditoria da EY à gestão da Caixa Geral de Depósitos (CGD) entre 2000 e 2015, Florbela Lima, revela que a auditora não avaliou “qualidade das decisões” como créditos aprovados com risco negativo. A resposta foi dada à deputada do BE, Mariana Mortágua, na comissão parlamentar de inquérito (CPI) à gestão da CGD, que arrancou nesta terça-feira, 26 de março, os trabalhos no Parlamento.

Licínio Pina espera que Governo devolva Fundo de Garantia do Crédito Agrícola Mútuo este ano

O Fundo de Garantia do Crédito Agrícola Mútuo tem um volume de 300 milhões mas só 200 milhões serão devolvidos à esfera da gestão da Caixa Agrícola.
Comentários