Grupo francês investe mais de 30 milhões de euros em resort de luxo na Comporta

O projeto “La Réserve” Natural Resort & Spa, do grupo Terrésens encontram-se em fase de construção, com conclusão prevista para os apartamentos no verão de 2021, townhouses na primeira fase do verão de 2022 e villas no quarto trimestre de 2022.

O Grupo Terrésens, de origem francesa, vai investir mais de 30 milhões de euros no projeto “La Réserve” Natural Resort & Spa, que ficará localizado na Comporta.

A construção da unidade turística de luxo já arrancou, estando a sua conclusão prevista para os apartamentos no verão de 2021, townhouses na primeira fase do verão de 2022 e villas no quarto trimestre de 2022.

“Cerca de 60% das propriedades englobadas no La Réserve já se encontram pré-reservadas para aquisição. A mais de um ano da conclusão dos primeiros apartamentos, isto deixa-nos extremamente satisfeitos. É muito oportuno estarmos a desenvolver este projeto num país como Portugal e num local tão distinto e apelativo como a Comporta”, refere, Sabine Fossat, gerente responsável do Grupo Terreséns em Portugal.

O La Réserve possui um espaço de 10 hectares e terá à disposição três tipos de propriedades: apartamentos, vilas e moradias de luxo, num total de 162 preparados e equipados. As tipologias consistirão em 56 apartamentos T2, 82 vilas que vão de T2 até T4 e 24 moradias de luxo T4 e T5.

Recomendadas

PremiumHostmaker: “Se matarem o alojamento local vão ter que o reativar”

David Costa, executivo da empresa em Lisboa, critica as medidas que o Estado pretende introduzir no setor no Orçamento do Estado para 2020: “O alojamento local tem custos bastante superiores ao alojamento tradicional”.

ASAE instaura 327 processos a estabelecimentos de Alojamento Local e empreendimentos turísticos

A falta de afixação da placa identificativa do alojamento local ou da classificação do empreendimento turístico e a oferta de serviços de AL por parte de estabelecimentos sem registo ou com registo desatualizado estão entre as principais infrações contraordenacionais detetadas.

Mercado de escritórios em Lisboa encerra 2019 com quebra de 6%

No último mês do ano, a ocupação de escritórios em Lisboa atingiu os 22.008 mil m2, num crescimento de 87% face ao mês anterior e de 44% em relação ao período homólogo, segundo o Office Flashpoint da consultora JLL.
Comentários