Grupo Montepio adota frota automóvel 100% verde

Torna-se no primeiro grupo financeiro português a fazer a descarbonização. “O processo de descarbonização da frota prolongar-se-á ao longo dos próximos dois anos, à medida que os contratos de renting ativos vão vencendo. Estas viaturas têm associada uma solução de renting do Montepio Crédito”, relata o comunicado enviado pela Associação Mutualista

Cristina Bernardo

Grupo Montepio anunciou em comunicado que adotou a frota 100% verde e torna-se assim o primeiro grupo financeiro português a fazer a descarbonização.

A renovação da frota arranca este mês e prevê-se que, até final do ano, um terço de todo o parque automóvel seja híbrido plug-in e elétrico.

Com o intuito de incentivar um estilo de condução sustentável, os colaboradores das várias empresas do Grupo receberão formação em ecocondução. Para além disso, será realizado investimento nas instalações elétricas nos edifícios centrais, com montagem de pontos de carregamento nos parques de estacionamento, que permitirão a cada utilizador carregar a sua viatura nas instalações do Grupo.

“O processo de descarbonização da frota prolongar-se-á ao longo dos próximos dois anos, à medida que os contratos de renting ativos vão vencendo. Estas viaturas têm associada uma solução de renting do Montepio Crédito”, relata o comunicado.

Ainda segundo o comunicado o “grupo Montepio inicia, este mês, um processo de descarbonização da sua frota automóvel, dando um passo importante no caminho da sustentabilidade e tornando-se o primeiro grupo financeiro português a adotar uma frota verde constituída por modelos híbridos e elétricos”.

“Através desta medida, que envolve todas as suas empresas, o Grupo Montepio adota as melhores práticas de mobilidade sustentável, diminui a pegada ambiental, reduz as emissões de CO² para a atmosfera em mais de 1480 toneladas, o consumo de combustível em 562 mil litros/ano e o ruído em ambiente urbano, ao mesmo tempo que melhora a eficiência energética e os custos da operação”, revela o comunicado.

«A mobilidade elétrica é uma revolução necessária e inevitável, porque dela também depende a preservação do planeta. Enquanto Grupo orientado ao futuro e à sustentabilidade económica, social e ambiental, estamos fortemente empenhados em implementar e incentivar as melhores práticas de eficiência energética», afirma Luís Moreira de Almeida, Administrador da Associação Mutualista Montepio, que encabeça o Grupo Montepio. «A nossa política de mobilidade e a rapidez com que será implementada refletem bem o compromisso que assumimos com a comunidade de associados e com a sociedade no seu todo».

“A inovação ligada à mobilidade elétrica está a crescer rapidamente e os veículos 100% elétricos ou híbridos plug-in garantem autonomia de circulação entre 300 e 400 km com um único carregamento. Refira-se que 25 minutos é o tempo necessário para carregar entre 70% a 80% da bateria de uma viatura elétrica”, adianta a nota.

 

Ler mais
Recomendadas

Oi quer vender posição na Unitel de Isabel dos Santos

A Oi, que se encontra em processo de recuperação económica, prevê alienar a posição de 25% na Unitel, incluindo um processo de arbitragem, no quarto trimestre deste ano.

Governo escreve ‘cartão-missão’ à CGD e pede “gestão de risco adequada”

“Rendibilidade das operações, associada a uma gestão de risco adequada, e por uma rede de serviços financeiros abrangente”. Governo define prioridades do banco público em ‘carta missão’ onde elogia a administração de Paulo Macedo.

Rui Hortelão é o novo diretor de comunicação da KPMG

Enquanto jornalista, Rui Hortelão iniciou a carreira no “Record”, passou pelas redações da “Focus”, do “Correio da Manhã” e do “Diário de Notícias”, onde foi diretor-adjunto. Em 2013, assumiu a direção da revista “Sábado”, cargo que abandonaria em 2017 por alegado exercício de funções incompatíveis com a profissão de jornalista.
Comentários