Grupo UHUB adjudica residência universitária do Lumiar à Gabriel Couto

Mercado das residências universitárias está a aumentar. O grupo – em que pontifica Jaime Antunes, Hugo Gonçalves Pereira e a gestora de ativos Atrium – inaugurou no ano passado uma infraestrutura semelhante junto ao polo universitário da Asprela, no Porto.

Na continuação do plano de investimentos projetado para Lisboa e Porto, o Grupo U.Hub Investments iniciou no passado mês de maio a construção da sua quarta residência de estudantes em Lisboa, localizada na Alta de Lisboa. A sua construção foi entregue à Gabriel Couto, depois de esta empresa já ter respondido pela residência da Areosa.

Com a assinatura do atelier de arquitetura PG – Arquitectos Associados, este novo empreendimento destinado a acolher a futura residência universitária do Lumiar, será implantado em quatro lotes e prevê a construção de oito pisos em cada um dos edifícios acima da cota de soleira e um piso enterrado, totalizando uma área total de construção de superior a 15.500 m2, sendo cerca de 3.000 m2 destinados à cave, refere a Gabriel Couto em comunicado.

Dos cerca de 12.600 m2 previstos acima do solo, mais de 11 mil m2 serão destinados às residências para estudantes, estando previstas 498 unidades de habitação de diferentes tipologias. Nos pisos inferiores localizam-se os espaços coletivos de apoio para as funções lúdicas, convívio, lazer, trabalho e estudo, com áreas generosas e condições de ambiente e equipamentos apropriados para as diversas funções. Para complementar o dia-a-dia dos futuros residentes, este equipamento dispõe ainda de um conjunto de serviços de apoio diversos, nomeadamente lavandaria, arrumos, limpeza, tudo gerido a partir da unidade de operação e gestão do empreendimento.

A tipologia de alojamento preconizado no projeto constitui um modelo multinuclear, que agrupa em cada núcleo um conjunto médio de 8 unidades de alojamento individual organizadas em torno de um espaço comum de apoio com funções de estadia e apoio nas refeições. Este modelo permite estabelecer um padrão de organização descentralizado que agrupa pequenas comunidades autónomas com independência funcional, permitindo gerir operacionalmente de forma mais eficaz.

Com uma localização privilegiada, esta futura nova residência universitária do Lumiar constitui uma resposta eficiente à reduzida oferta de alojamentos para estudantes que atualmente se verifica na cidade de Lisboa.

Recorde-se que o grupo U.Hub Investments, em que pontifica Jaime Antunes, Hugo Gonçalves Pereira e a gestora de ativos Atrium, está a investir em força nestes últimos anos no segmento de residências universitárias, tendo inaugurado no ano passado uma das maiores residências em Portugal, localizada no Porto, na zona da Areosa, junto ao Polo Universitário da Ásprela. O empreendimento conta com 456 unidades de habitação de diferentes tipologias.

O grupo estabeleceu uma parceria com os belgas da Xior (empresa cotada na Euronext e líder de mercado na Bélgica e na Holanda na área das residências de estudantes), englobando a totalidade o portefólio de residências de estudantes da rede U.HUB em Portugal, incluindo quatro ativos em Lisboa e dois no Porto, em diferentes fases de operação e desenvolvimento.

Recomendadas

Franceses da Saint-Gobain investem 600 mil euros em novo armazém no Carregado

Empresa de materiais de construção concluiu o investimento no Centro Produtivo do Carregado, em Alenquer, para ter a possibilidade de expedir soluções de três marcas.

Açores: Novo concurso para porto espacial terá menos exigências para garantir projeto

Depois de um primeiro procedimento falhado, o Governo Regional dos Açores vai avançar com a revisão das condições, mas não deixa cair o objetivo de criar um cluster regional para a indústria aeroespacial.

AICCOPN sublinha aumento de 6,4% no investimento em construção em Portugal

Ao nível do licenciamento de obras de construção pelas Câmaras Municipais, no primeiro trimestre de 2021 apurou-se um crescimento de 4,7%, em resultado de um aumento de 8,6% na habitação familiar e de uma contração de 4,9% nos outros edifícios, em termos homólogos.
Comentários