Grupo Volkswagen recupera lucros com crescimento do mercado chinês

A Volkswagen prevê que o lucro do total do ano seja “severamente menor” do que o registado em 2019, mas que se manterá em território positivo.

A fabricante automóvel Volkswagen voltou a apresentar lucro no terceiro trimestre à medida que a procura chinesa por carros de luxo recuperou perante a pandemia de Covid-19 que se verificou no trimestre anterior, aponta a “Reuters”.

Apesar dos lucros, a fabricante alemã viu as entregas de veículos caírem 1,1% devido à crise pandémica e às restrições aplicadas por alguns países. A Volkswagen aponta que o negócio “recuperou visivelmente”, uma vez que as vendas de Audi e Porsche na China aumentaram 3%.

Com a previsão de lucro anual no fim de 2020, a fabricante sustenta que beneficiou dos cortes praticados no início do ano para combater o impacto da pandemia, bem como os cortes realizados no início da aposta nos veículos elétricos. “[Os cortes de custo] tiveram tanto impacto quanto as melhorias contínuas nos principais mercados de venda”, explicou a Volkswagen.

A Volkswagen prevê que o lucro do total do ano seja “severamente menor” do que o registado em 2019, mas que se manterá em território positivo.

A empresa afirma ainda que a liquidez melhorou para 24,8 mil milhões de euros face aos 18,7 mil milhões de euros verificados no segundo trimestre. A Volkswagen apresentou ainda um lucro operacional de 3,2 mil milhões de euros contra os 4,8 mil milhões de euros do mesmo período do ano passado.

A empresa sustenta que o retorno operacional ajustado das vendas caiu para 5,4% a partir dos 7,4% do trimestre anterior, mas recuperou dos -5,8% do segundo trimestre, um valor determinado pelo confinamento causado pela pandemia.

No segundo trimestre, a Volkswagen tinha registado um prejuízo de 1,7 mil milhões de euros, tendo sido, à semelhança de outros fabricantes, atingida pela quebra da procura e às restrições económicas. Entre as marcas comercializadas pelo grupo Volkswagen encontram-se a própria Volkswagen, Audi, Škoda, Bentley, Bugatti, Lamborghini, Porsche e Ducati.

Ler mais
Recomendadas

Parlamento anula transferência de 476,6 milhões do Fundo de Resolução para Novo Banco

O Parlamento aprovou a bandeira do Bloco de Esquerda de impedir a injeção do Fundo de Resolução dos 476,6 milhões de euros para o Novo Banco. Esta medida deixa o banco numa situação delicada para cumprir os compromissos de limpeza do balanço assumidos com Bruxelas.

AHRESP diz que Programa Apoiar pode não ser acessível a 58% do setor da restauração

A condição obrigatória que as entidades disponham de contabilidade organizada, é um requisito que pode impedir o acesso a 58% das empresas da restauração e bebidas, que são Empresários em Nome Individual (ENI), na sua esmagadora maioria inscritos no Regime Simplificado”, diz a Associação.

Mário Ferreira lança OPA sobre 70% da Media Capital. Paga 0,67 euros por ação

Na sequência de uma deliberação da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, a Pluris Investments, de Mário Ferreira, lançou uma OPA obrigatória sobre a totalidade do capital que não controla na dona da TVI.
Comentários