Grupo WWP vai voltar a acelerar startups

A fase de candidaturas termina a 19 de abril.

O grupo WPP apresentou a segunda edição do WPP Booster, um programa que proporciona às startups a possibilidade de serem acompanhadas por vários mentores do grupo, bem como acesso à experiência nas diversas áreas da Comunicação, Tecnologia e Commerce.

Este programa, que é organizado em parceria com a incubadora Startup Lisboa, é direcionado para pequenas empresas que contribuam com um boost ao seu negócio e comunicação através da otimização de conteúdos, gestão de influenciadores, monitorização de redes sociais, Inteligência Artificial (IA) e outras atividades que fazem parte do seu dia-a-dia.

A segunda edição do WPP Booster terá uma duração de até seis meses e irá apoiar entre três a seis startups selecionadas com ajuda dos vários mentores da WPP.

O programa de aceleração oferece a possibilidade de utilizar o espaço de co-working dentro do edifício Garagem, em Lisboa, e as startups a concurso ainda vão ter acesso a formações e workshops promovidas pela WPP Academy e WPP Talks.

A fase de candidaturas termina a 19 de abril. No final de cada ciclo do programa – no “Demo Day” – são apresentadas as startups a concurso aos decisores do Grupo WPP e eventuais investidores dos projectos.

PCGuia
Ler mais
Recomendadas

Startups colaboram com o Governo para criar medidas de apoio ao empreendedorismo

Movimento tech4COVID19 entregou documento com propostas e reuniu-se esta segunda-feira com o secretário de Estado para a Transição Digital. Os signatários propõem que se estenda os requisitos de elegibilidade ao ‘lay-off’, aceitando as microempresas ou PME que tenham recebido investimentos de investidores registados na CMVM ou de ‘business angels’

Consórcio europeu lança curso online gratuito sobre inovação

O “Co-Innovation Journey for Startups and Corporates” inclui palestras, artigos informativos, questionários, discussões e atividades práticas. A Beta-i representa Portugal nesta iniciativa e criou ainda um ‘podcast’ para os tempos de crise.

Doinn, a startup que sente na pele a queda dos negócios do turismo e limpeza

“Estamos atentos às medidas de apoio anunciadas pelo Governo apesar de, até agora, não termos ficado impressionados com elas. Não nos adianta muito adiar as obrigações como IVA ou TSU para o segundo semestre se os respetivos pagamentos coincidirão com a época baixa”, disse ao Jornal Económico Weronika Figueiredo, cofundadora da empresa.
Comentários