Guia de instrumentos financeiros existentes para apoiar as empresas

Empresas têm um conjunto de instrumentos de financiamento com apoio público, destinadas às diversas fases da sua atividade e investimento.

Existem vários instrumentos de financiamento e capitalização com apoio público para apoiar o tecido empresarial português, composto maioritariamente por pequenas e médias empresas (PME). Os instrumentos financeiros disponíveis estão sistematizados no Portal do Financiamento, lançado no final do ano passado pelo IAPMEI, e procuram dar resposta aos diferentes desafios das empresas, nas várias fases da sua atividade e investimento. Com a pandemia de Covid-19, o Governo alargou esses apoios e, embora a sua ação se tenha centrado nas linhas de crédito, existem outras soluções de financiamento que podem ser tidos em conta pelos empresários.

 

Benefícios fiscais
Trata-se de regimes de tributação mais favoráveis, que podem assumir a forma de isenção ou redução do pagamento de determinadas taxas/impostos, deduções à matéria coletável ou amortizações. O objetivo destes instrumentos é impulsionar a economia, promovendo o crescimento das empresas através de investimento produtivo estrutural e da sua capitalização. Há seis benefícios fiscais atualmente disponíveis: benefícios fiscais de natureza contratual ao investimento produtivo; benefícios fiscais aplicáveis aos territórios do interior e às regiões autónomas; a Dedução por Lucros Retidos e Reinvestidos (DLRR); a Remuneração Convencional do Capital Social IRC; o Regime Fiscal de Apoio ao Investimento (RFAI) e o SIFIDE – Sistema de Incentivos Fiscais à Investigação e ao Desenvolvimento Empresarial.

 

Capital de Risco
É o único instrumento financeiro que garante financiamento para as PME, através do “recurso a capitais próprios, por um período temporário”. Ou seja, ou seja, as Sociedades de Capital de Risco, Fundos de Capital de Risco ou Business Angels concretizam o financiamento através de participação no capital social das empresas que recorrem a esta forma de financiamento. A participação destas entidades nas empresas é temporária (com um prazo médio de 3 a 7 anos) e, na maioria dos casos, minoritária.

 

Garantia Mútua
É um sistema mutualista de apoio às micro, pequenas e médias empresas, assente na prestação de garantias financeiras para facilitar a obtenção de crédito. Para isso, as empresas beneficiárias assumem a condição de acionistas de uma das quatro Sociedades de Garantia Mútua existentes em Portugal (Norgarante, Lisgarante, Garval e Agrogarante), cujas operações são cobertas por um Fundo de Contragarantia Mútuo (FCGM), dotado com fundos públicos, que funciona como fundo de “resseguro”. A partilha de risco com outras entidades financeiras facilita o acesso das empresas ao crédito e garante condições de custo e prazo adequados às necessidades.

 

Fundos de coinvestimento
São fundos públicos de matching destinados a apoiar capitalização de empresas, sobretudo tecnológicas e de impacto. Visam promover o coinvestimento através de parcerias com coinvestidores privados nacionais e internacionais qualificados. O investimento é efetuado simultaneamente e nos mesmos termos, pelos fundos e coinvestidores privados, sendo celebrado um acordo com a empresa destinatária sobre o enquadramento relacional entre as partes.

 

Fundos de investimento imobiliário
São um instrumento financeiro que permite apoiar as PME, através de operações que “consistem na aquisição e subsequente arrendamento de imóveis afetos à atividade das empresas”. Ou seja, as empresas são incentivadas a comprar imóveis para poderem mais tarde arrendar e recuperar dinheiro com as rendas. Estes fundos são uma alternativa à aplicação de poupanças em depósitos bancários ou ao investimento direto no mercado de capitais e são geridos por profissionais especializados no mercado de capitais e imobiliário. Permitem dotar as empresas de liquidez financeira imediata.

 

Linhas de Crédito
Esta solução financeira permite às empresas melhorar as suas condições de financiamento e facilitar o acesso ao crédito bancário. Na prática, os bancos emprestam dinheiro às empresas, mas, ao contrário do empréstimo tradicional, este deve começar a ser pago a partir do momento em que se recebe o dinheiro. No entanto, tem como vantagem o facto de os juros serem mais baixos. As linhas de crédito são bonificadas e garantidas pelo Estado português. Com a pandemia da Covid-19, foi criada uma linha de apoio à economia (Linha Economia Covid-19), que funciona entre os bancos e outras entidades, como o IAPMEI e a Sociedade Portuguesa de Garantia Mútua (SPGM), e foram criadas linhas específicas por setor. Entre essas linhas criadas constam a linha de apoio à restauração, outra de apoio aos empreendimentos e alojamentos turísticos e outra para as agências de viagens, animação turística e organização de eventos.

 

Seguros de crédito
É um instrumento que permite às empresas gerirem os riscos comerciais e políticos do comércio, que não conseguem controlar, através de um seguro que protege as empresas contra o não pagamento de uma dívida comercial. Destina-se sobretudo a empresas que queiram apostar em exportações e pode ser pedido junto de qualquer uma seguradoras privadas a operar em Portugal. Com esta solução de financiamento, as empresas têm o seu capital protegido e os fluxos de caixa mantém-se, permitindo ainda a obtenção de empréstimos. Estes seguros têm garantia do Estado e contam com apenas um operador, a COSEC – Companhia de Seguros de Crédito, SA.

Ler mais
Recomendadas

Linha de apoio a micro e pequenas empresas disponível a partir desta quarta-feira

Para se poderem candidatar, as empresas terão de apresentar uma quebra abrupta e acentuada de pelo menos 40% da sua faturação, e não poderão ter beneficiado das anteriores linhas de crédito com garantia mútua. A SPGM avisa que as empresas em dificuldades não podem ter sede em países ou regiões com regime fiscal mais favorável (‘offshore’)”.

Farmacêutica Pfizer inicia ensaio clínico com quase 30 mil participantes

A farmacêutica norte-americana Pfizer e a biotecnológica alemã BioNTech iniciaram um ensaio clínico de uma potencial vacina para a Covid-19 envolvendo cerca de 30 mil participantes, foi anunciado esta quarta-feira.

Facebook lança versão do Tik Tok através do Instagram

O Reels é a aplicação que a empresa de Mark Zuckerberg criou para fazer frente ao rival Tik Tok. O lançamento acontece dias depois sa Microsoft anunciar as negociações para adquirir as operações nos EUA da aplicação de video da ByteDance na China.
Comentários