Guy Villax, CEO da farmacêutica Hovione, venceu o prémio EY Entrepreneur of the Year

O CEO da Hovione representará Portugal no EY World Entrepreneur of the Year, a ter lugar em junho próximo. Para Guy Villax, as empresas precisam de saber reinventar-se: “Uma empresa se é estática, morre. Tem de estar constantemente a ver as oportunidades, constantemente a ver o que é que tem de fazer para estar à frente da concorrência, e a inovação é central”.

Guy Villax, CEO da Hovione

Guy Villax, da farmacêutica Hovione, venceu o prémio EY Entrepreneur of the Year. já António Oliveira, da OLI, Sistemas Sanitários, e Rupert Symington, da produtora de vinhos e vinhos do Porto Symington Family Estates receberam o Prémio Inovação e o Prémio Internacional, respetivamente. O líder da Hovione representará Portugal no EY World Entrepreneur of the Year, a ter lugar em junho próximo.

Receber este prémio “é um reconhecimento que dá muita satisfação”, afirma em comunicado Guy Villax, CEO da Hovione. O vencedor realça que “esta é uma distinção importante para a empresa, mas sobretudo importante para as pessoas que ali trabalham e é a elas, por isso, que agradeço em primeiro lugar”.

Para Guy Villax, as empresas precisam de saber reinventar-se: “Uma empresa se é estática, morre. Tem de estar constantemente a ver as oportunidades, constantemente a ver o que é que tem de fazer para estar à frente da concorrência, e a inovação é central”.

No caso da Hovione, especifica, é certo que “uma empresa de 60 anos tem tradição, tem valores, mas a inovação estava lá no primeiro dia”. E adianta: “Podemos ser conservadores na área financeira, mas em tudo o que seja tecnologia, acho que somos os primeiros a ir para a parte funda da piscina”.

João Alves, Country Managing Partner da EY Portugal, destaca a importância deste prémio que “existe há praticamente quatro décadas a nível global, há dezasseis anos em Portugal, e que é uma forma de a EY celebrar a importância do empreendedorismo, celebrando os bons empreendedores”.

Sobre o vencedor, o mesmo responsável da EY Portugal assume que “ficámos muito satisfeitos com a escolha do júri, pois a Hovione é um excelente exemplo de como, a partir de Portugal, há empresas que se conseguem afirmar em áreas muito exigentes e competitivas, tornando-se referências mundiais nos seus setores de atividade. Tenho por isso toda a confiança que o Guy Villax será um belíssimo representante de Portugal no prémio internacional que terá lugar no próximo mês de junho”.

Ler mais
Recomendadas

Groundforce avisa que pagamento dos salários de maio está em risco com pedido de insolvência pela TAP

O acionista maioritário alerta que o pedido de insolvência também “vai dificultar a operação de venda que se encontra em curso com diversos players internacionais do setor”. Pedro Nuno Santos é ouvido hoje no Parlamento sobre a situação na empresa com 2.400 trabalhadores.

RTP “precisa de reforço” do financiamento para cumprir completamente novo contrato

“Não há qualquer dúvida que para cumprir completamente aquilo que vai estar disposto no futuro contrato de concessão, a RTP precisa de um reforço do seu financiamento e de um reforço orçamental”, reiterou Nuno Artur Silva.

Receitas totais da Vodafone sobem 0,3% no ano fiscal 2020/2021 para 1.084 milhões de euros

“Os resultados alcançados neste trimestre foram também impulsionados pelo desempenho consistente do negócio fixo, com os clientes de banda larga a atingirem 814 mil (+9,6% em termos homólogos) e os clientes de televisão a totalizarem 749 mil (+10,3% homólogos)”, adianta.
Comentários