Há nova opção no Uber para ajudar pessoas com deficiência a fazer viagens

Seis anos depois de ter entrado em Portugal, a Uber criou um serviço de TVDE adaptado a pessoas com mobilidade reduzida (e não só): o Assist.

Uber

Mais surpreendente que o facto de este serviço só chegar à Uber em 2020 é que esta plataforma de TVDE seja, ainda assim, a primeira a fazê-lo.

O Uber Assist destina-se a pessoas com mobilidade reduzida (mas também para quem tenha «deficiências intelectuais e sensoriais») e chega esta semana à app em parceria com a Associação Salvador, responsável pela formação dada aos motoristas.

Uber não usa carros adaptados para o Assist
Apesar de não ter automóveis adaptados especialmente para o transporte de pessoas com deficiências motoras (como, por exemplo, que necessitem de cadeiras de rodas para se deslocarem), a Uber destaca o facto de os motoristas terem a tal formação.

O novo serviço Uber Assist tem os mesmos preços que o UberX (já que os automóveis são os mesmos) e pode ser pedido em todo o território nacional, desde que haja disponibilidade.

Para usar o Uber Assist é preciso arrastar o ecrã das opções de transporte da Uber para cima, uma vez que a opção não é mostrada entre as primeiras: está mesmo no fundo, na categoria ‘Mais.

PCGuia
Ler mais
Recomendadas

Ex-autarca do Porto diz que volumetria do projeto do El Corte Inglés é “absurda”

No mês passado, o Bloco de Esquerda denunciou que a Câmara do Porto “abdicou de 31 mil m2 para espaços verdes no projeto do Corte Inglês na Boavista, por considerar não serem necessários devido à proximidade da Rotunda da Boavista”. Para Nuno Cardoso, “tem uma densidade absolutamente desmesurada”.

PremiumPortugal é um mercado “importante” para a chinesa Oppo

A fabricante de smartphones quer crescer na Europa e vai investir 6 mil milhões em ‘R&D’ em três anos. Em Portugal, “reforçar a presença” deve passar por acordos com operadores e retalhistas.

PremiumEDP Renováveis vai construir centrais eólicas marítimas na Grécia

EDPR forjou parceria com companhia helénica para instalar 1,5 gigawatts nos mares gregos. Esta é a segunda parceria fechada em cinco meses na Grécia.
Comentários