Premium“Há um certo vazio nesta proposta de OE para as empresas”

Fiscalista da EY considera que, no OE 2022, a ambição poderia ter ido um pouco mais longe nos incentivos fiscais para as empresas que durante a pandemia mantiveram ou criaram emprego. E alerta que urge diminuir com urgência o desequilíbrio das contas públicas.

Luís Marques considera que o Governo podia ir mais longe nas medidas fiscais para as empresas. E diz que este Orçamento é mais virado para “algum alívio” fiscal” das famílias, através da reformulação do regime do IRS Jovem e do desdobramento dos escalões. E considera que o OE deve ser visto em paralelo com o PRR, defendendo que uma adequada aplicação do PRR, ainda que através do Estado, pode permitir um impacto positivo nas empresas e na chamada “economia real”.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

CGTP diz que chumbo do OE2022 deve-se a falta de vontade política do Governo

Para a CGTP a proposta do Governo não promovia o necessário crescimento dos salários e pensões, nem maior justiça fiscal, não acabava com a precariedade laboral, nem travava a destruição de postos de trabalho por grandes grupos empresariais, nem sequer promovia contratação coletiva.

Duodécimos limitam execução mensal até à entrada em vigor de novo orçamento

“Durante o período transitório em que se mantiver a prorrogação de vigência da lei do Orçamento do Estado respeitante ao ano anterior, a execução mensal dos programas em curso não pode exceder o duodécimo da despesa total da missão de base orgânica”, pode ler-se na lei de Enquadramento Orçamental atualmente em vigor.

OE2022. ‘Chumbo’ reflete “saturação pelo modelo de governação”, afirma presidente da CAP

Falando à margem da conferência sobre o Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), promovida pelo Fórum para a Competitividade, que hoje decorreu em Lisboa, Eduardo Oliveira e Sousa recebeu sem surpresa o chumbo da proposta orçamental, salientando que os últimos debates na Assembleia da República “foram esclarecedores” relativamente “a uma espécie de saturação que vinha a ser demonstrada sobre o modelo de governação que estava em exercício”.
Comentários