Há um novo fundo para investimentos sustentáveis em Portugal

A sociedade de capital de risco portuguesa Grosvenor House of Investments lançou o Sustainable Innovation Fund.

A sociedade de capital de risco Grosvenor House of Investments lançou recentemente um fundo para projetos inovadores ligados à sustentabilidade, chamado “Sustainable Innovation Fund” (SIF), que terá em conta a integração dos fatores ambientais, sociais e de governança (ESG) na análise não financeira das oportunidades de investimento das empresas, nomeadamente em investigação de desenvolvimento.

O principal objetivo do SIF é apoiar iniciativas e empresas portuguesas disruptivas, com operações distintas, mas com o mesmo compromisso: a sustentabilidade. A ideia destes investidores nacionais é contribuir positiva e decisivamente para um ecossistema que tem “obrigatoriamente” de percorrer este caminho, que está cada vez mais regulado.

“Agora, mais do que nunca, as questões da Sustentabilidade nas suas inúmeras vertentes, e a Valorização de uma nova Economia Verde, são temas incontornáveis. Com o lançamento deste Fundo inovador, pretendemos que exista um impacto direto e positivo nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis das Nações Unidas (ODS), que farão inevitavelmente parte das métricas nas nossas análises às empresas que acompanharemos”, refere o fundador e managing partner, Duarte Costa.

“Pretendemos garantir a criação de valor a longo prazo, aumentando o grau de resiliência e flexibilidade das empresas portuguesas, reduzindo ao mesmo tempo a volatilidade face a fatores externos à sua atividade. Acreditamos que os investimentos sustentáveis são claramente investimentos de futuro – a todos os níveis – a serem feitos no presente”, explica gestor da Grosvenor House of Investments, que tem apostado em áreas como a economia do mar, as energias renováveis, a saúde, a agricultura, a indústria ou as ciências da vida.

Recomendadas

Emissões de gases com efeito de estufa aumentaram 18% na União Europeia

Os responsáveis pela maior parte das emissões de gases com efeito de estufa foram a indústria e construção, o fornecimento de eletricidade e a agricultura (14%), divulga o Eurostat.

Projeto de 31 milhões de euros para proteção florestal vai beneficiar 15 mil hectares

O projeto terá em conta também a redução do risco de incêndio, com a diversificação e combinação de espécies, criação de faixas de gestão de combustível e vigilância regular.

Premium“Não podemos ter mil hectares intervencionados com um enclave”, afirma secretário de Estado das Florestas

Arrendamento forçado é apontado pelo secretário de Estado das Florestas como garantia de que “ínfima minoria” não condicione áreas que podem travar incêndios e garantir apoios a produtores até agora excluídos desses rendimentos.
Comentários