Hipoges lança nova linha de negócio para gestão de carteiras de ativos para arrendamento

A Hipoges espera poder gerir mais de 5.000 ativos em Portugal e Espanha, ainda neste ano de 2021.

A Hipoges Iberia, que opera no sector da gestão de ativos no mercado ibérico, acaba de lançar uma nova linha de negócio, em Portugal e Espanha, passando agora a incluir entre os seus serviços a gestão de carteiras de ativos para arrendamento.

“Para apoiar o lançamento desta nova linha de negócio, a empresa desenvolveu um departamento composto por mais de 20 profissionais com vasta experiência em gestão de carteiras de ativos para arrendamento”, diz a Hipoges em comunicado.

Desta forma, a Hipoges espera poder gerir mais de 5.000 ativos em Portugal e Espanha, ainda neste ano de 2021.

Atualmente, a Hipoges tem mais de 24 mil milhões de euros em ativos sob gestão, “valor que tem perspetivas de aumentar significativamente graças a esta nova área de negócio, uma vez que o arrendamento é hoje em dia um dos produtos mais procurados, tanto por particulares como por fundos de investimento, nacionais e internacionais”.

O diretor de Imobiliário da Hipoges Portugal, Luís Silveira, destaca que “mais uma vez a Hipoges soube adaptar e antecipar outros Asset Managers, oferecendo um novo serviço aos seus clientes”. Além disso, disse que “esta nova linha de negócio vem reforçar a posição de liderança do grupo como servicer independente, quer em Portugal, quer em Espanha”.

“Este novo serviço de gestão de arrendamentos vai estar disponível através da plataforma de imobiliário online portalnow.com do grupo, que se encontra já a trabalhar para disponibilizar os primeiros ativos aos consumidores e investidores nas próximas semanas”, lê-se no comunicado.

Recomendadas

EDP Renováveis fecha contrato de aquisição de energia de 15 anos para um projeto eólico no Canadá

A EDP Renováveis fechou um contrato com a TransCanada Energy para a venda da energia verde do seu parque eólico de Shap Hills, no Canadá.

Aon e Firma estabelecem parceria para soluções globais de financiamento das empresas

Bernardo Theotónio-Pereira explica a parceria com “as necessidades actuais das empresas” que “passam, na sua maioria, por soluções de tesouraria e de funding céleres e independentes da burocracia e lentidão da banca nacional e/ou de outros players ou fundos ‘abutres’ que se instalaram em Portugal ”.

Quem é a Evergrande e porque está a assustar os mercados mundiais?

A iminência de incumprimento por parte do gigante chinês do imobiliário fez tremer os mercados e há já quem tema um impacto sistémico de elevadas proporções. O Jornal Económico falou com analistas do mercado e com o CEO da Vanguard Properties, que deram a sua visão sobre o que se passou com a Evergrande e que impacto pode ter no mercado.
Comentários