Hotéis do grupo Prainha reabrem com 24 horas de intervalo em cada dormida

As unidades hoteleiras em Alvor e Lagos voltam a abrir portas na próxima sexta-feira.

O grupo Prainha está a preparar a reabertura dos seus empreendimentos turísticos Aldeamento da Prainha e Prainha Clube (Alvor) e VitaSol Park (Lagos), na próxima sexta-feira, com medidas de segurança sanitária adicionais

A empresa optou por deixar sempre 24 horas de intervalo entre saídas e entradas de novos hóspedes para garantir que a limpeza e a desinfeção dos espaços é realizada de forma eficaz e de acordo – e além – das recomendação da Direção Geral de Saúde, que apontam para duas a três horas entre a saída, limpeza e chegada de outros clientes.

A equipa de gestão do grupo garante, em comunicado, que este ano grande parte do investimento será vocacionado para o bem-estar e segurança de todos aqueles os que visitam estes dois empreendimentos no Algarve

“Os funcionários terão formação adequada para aconselhar sempre o cliente sobre as medidas que deverão tomar no seu dia a dia, sensibilizando todos os nossos clientes para o distanciamento social e ajustar os procedimentos de limpeza e demais serviços para assegurar o cumprimento de todas as regras exigíveis pelas autoridades competentes”, afirma o diretor geral, António Silveira.

Recomendadas

Novo Banco diz que “não vende imóveis com desconto”, pois vendeu ao preço de mercado

“A diferença quanto ao valor de avaliação no balanço dos imóveis não é um desconto, é o efeito da diferença entre o preço de mercado e o valor de avaliações que seguem o método de custo ou que assumem diferentes estimativas de capacidade construtiva”, explica o banco liderado por António Ramalho.

PremiumEmpresas nacionais brilham nas tecnologias da educação

JP Inspiring Knowledge, Bi-Bright e ubbu têm uma palavra a dizer na ‘virtualeduca.connect’, que decorre de 21 a 23 de julho, sob o signo do futuro.

Setor dos recursos minerais otimista na recuperação da atividade

A preservativa de evolução da liquidez é mais otimista face ao mês de abril, apesar de 33% estimar um impacto negativo de 20% a 40% na liquidez.
Comentários