PremiumHuawei está a contratar em Portugal para responder a crescimento

O gigante chinês arrancou em Portugal há 15 anos com três dezenas de pessoas e este ano quer atingir as 150. Vai depender do mercado, pois a oferta é escassa na área da engenharia de redes.

A empresa de telecomunicações chinesa, cujo corpo de efetivos em Portugal ronda as 120 pessoas, iniciou o ano de 2020 a recrutar. A meta é atingir os 140/150 colaboradores ao longo do ano. O número foi avançado ao Jornal Económico por Nuno Miguel António, Delivery & Services VP, e Diogo Madeira, head of Public Affairs & Communications, que os justificam com o crescimento do negócio.

Há 15 anos, o gigante chinês arrancou em Portugal com três dezenas de pessoas e desde então quadruplicou o número de empregos. Atualmente está a braços com obras de ampliação do seu escritório no Parque das Nações.

As cerca de três dezenas de postos de trabalho a criar este ano são quase exclusivamente de base tecnológica. “Neste momento procuramos profissionais com formação em engenharia de telecomunicações e áreas relacionadas, com diferentes níveis de experiência (júnior e sénior) e elevado conhecimento técnico”, explica Nuno Miguel António ao Jornal Económico.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Antonoaldo Neves: Quem vai pagar os prejuízos da TAP com a suspensão de 90 dias nos voos para a Venezuela?

A suspensão da TAP nos seus voos para a Venezuela representam prejuízos de pelo menos 10 milhões de euros, referiu o presidente executivo da TAP no final da conferência de imprensa de apresentação dos resultados de 2019.

Efacec assegura que “reúne todas as condições” para pagar salários e a fornecedores

Empresa afasta qualquer cenário de incumprimento, após Isabel dos Santos, que detém perto de 70% da Efacec, ter alertado hoje em comunicado de que o congelamento de contas das suas empresas se estende ao bloqueio de ordens de pagamento de salários, impostos a fornecedores e à Segurança Social.

Segunda fase da mudança da faixa da TDT arranca dia 24 de fevereiro

A segunda fase do processo de levantamento da rede TDT da faixa que será ocupada pelo 5G abrange os distritos de Évora, Beja e Setúbal.
Comentários