PremiumHumberto Pedrosa: “Voltarei a tomar o meu lugar na administração da TAP”

A necessidade de clarificação do Estatuto do Gestor Público levou Humberto Pedrosa a renunciar à presidência na TAP SA, de forma a não pôr em risco o fecho do negócio de saída de David Neeleman.

Para não pôr em risco fecho do acordo de saída de David Neeleman da TAP, o acionista privado, Humberto Pedrosa, deixou a administração da empresa que passou a ser detida maioritariamente pelo Estado. Em causa está a necessidade de clarificação do Estatuto do Gestor Público no que toca a administradores não executivos como é o caso do dono do grupo Barraqueiro que detém 22,5% da companhia aérea. Em declarações ao Jornal Económico (JE), empresário português garante: “Após a clarificação do regime do gestor público, voltarei a tomar o meu lugar”.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Trabalhadores da Saint-Gobain mantêm luta, considerando as propostas da empresa insuficientes

Os trabalhadores da Saint-Gobain em Santa Iria da Azóia, Loures, decidiram esta sexta-feira manter as ações de luta, por recusarem o encerramento da fábrica e considerarem que as propostas da empresa não são uma alternativa ao despedimento dos 130 funcionários.

Efacec: Empresa e alguns trabalhadores alvo de despedimento coletivo chegam a acordo

A primeira sessão do julgamento relativo ao despedimento coletivo efetuado em agosto de 2018 pela Efacec terminou hoje, sexta-feira, com acordo entre a empresa e alguns trabalhadores, enquanto outros continuam a reclamar a reintegração, avançou fonte sindical.

Siza Vieira: Efacec com restrições no acesso à banca precisa de “novo acionista de controlo”

O ministro da Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira, admitiu hoje, sexta-feira, estar preocupado com as restrições de acesso à banca da Efacec e disse que a melhor solução é encontrar “um novo acionista de controlo” para a empresa.
Comentários