Iberdrola obtém financiamento de 400 milhões para a construção de sistema hidroeléctrico no Tâmega

Os fundos serão investidos no complexo hidroeléctrico bombeado a 1158MW a ser construído no norte de Portugal, que servirá também para integrar mais energia eólica e solar na rede.

A Iberdrola conseguiu através do Instituto de Crédito Oficial (ICO) o maior empréstimo verde até agora concedido pelo banco público espanhol.

O montante chega a 400 milhões de euros com um período de amortização de 12 anos e dois de carência para o pagamento principal.

A operação foi assinada esta manhã, 30 de maior, pelo presidente da empresa espanhola, Ignacio Galán, e pelo presidente do ICO, José Carlos García de Quevedo, durante um encontro realizado no escritório corporativo da Iberdrola em Madrid.

Os fundos obtidos serão destinados ao Sistema Eletroprodutor do Tâmega, que a empresa está a construir atualmente no norte de Portugal. Trata-se de um projeto que inclui a construção de três novas barragens e três centrais hidroelétricas com uma capacidade total de 1.158 megawatts (MW), o que representará um aumento de 6% na potência elétrica total de Portugal e que permitirá fornecer energia renovável para 440.000 residências.

Dessa capacidade, 880 MW serão de bombagem, o sistema de armazenamento de energia mais eficiente, na atualidade, com o qual se facilita a integração das energias renováveis no sistema elétrico peninsular, assim como a sua sustentabilidade.

No ano passado, o Banco Europeu de Investimento (BEI) contribuiu para o projeto com um empréstimo de 500 milhões de euros, a primeira parcela de um financiamento aprovado num valor de 650 milhões de euros.

Ler mais
Recomendadas

Chevron valoriza mais de 10% na Bolsa de Nova Iorque depois de ter suspendido produção de petróleo em Cabinda

A estratégia seguida pelo presidente e CEO da petrolífera Chevron, Michael Wirth, para enfrentar a crise gémea da Covid-19 e da guerra de cotações no petróleo vai além da suspensão da produção em blocos offshore, como aconteceu em Cabinda, Angola. Passa pela forte redução dos investimentos e pela venda de ativos, como é o caso das participações no Azerbaijão, que devem ser vendidas em abril.

Petróleo em mínimos de 18 anos leva o Kremlin a declarar que “está muito barato”

Com os futuros do Brent e do WTI a serem negociados, respectivamente, a 26,24 e 23,08 dólares por barril, a Rússia dá indicações – pela primeira vez na crise do Covid-19 – de que chegou ao limite da sua tolerância à descida dos preços do ouro negro.

Trump decide “atestar” reserva estratégica petrolífera dos EUA para travar queda da cotação do petróleo

Atestar os tanques da reserva estratégica de petróleo dos EUA implica comprar 77 milhões de barris de petróleo, o que custará cerca de 2,6 mil milhões de dólares (cerca de 2,33 mil milhões de euros). Eis a fatura que Trump quer pagar para travar a queda das cotações do petróleo que afetam a viabilidade das unidades de shale oil nos EUA.
Comentários