Ibersol passa de lucro a prejuízo de 36,9 milhões de euros até setembro

A dona de marcas como a Pizza Hut, KFC e Burger King teve um volume de negócios de 213,9 milhões de euros, depois de uma queda homóloga de 39,9%

A Ibersol reportou esta sexta-feira um resultado líquido consolidado negativo de 36,9 milhões euros nos primeiros nove meses de 2020, o que representa uma redução de 47,4 milhões de euros comparativamente ao mesmo período homólogo do ano passado.

A dona de marcas como a Pizza Hut, KFC e Burger King teve um volume de negócios de 213,9 milhões de euros, depois de uma queda homóloga de 39,9%, de acordo com o relatório divulgado esta sexta-feira pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O EBITDA – lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização – também sofreu uma queda expressiva até setembro, de 59,6% para 35,9 milhões de euros.

“Durante os primeiros nove meses, verificou-se o encerramento definitivo de 42 unidades, 16 das quais franquiadas e concretizou-se a abertura de nove novos restaurantes próprios”, pode ler-se no documento divulgado pela CMVM, após o fecho do mercado.

No início de junho, o grupo Ibersol admitiu que seria “expectável” que a crise provocada pela pandemia de Covid-19 provocasse perdas no volume de negócios da empresa na ordem dos 30% este ano, uma vez encerrou 75% dos seus restaurantes no final de março.

A empresa liderada por António Pinto de Sousa e António Teixeira explica que no terceiro trimestre a retoma da atividade do grupo foi condicionada por quatro fatores principais: redução a 50% da lotação dos restaurantes; limitação dos horários de funcionamento dos centros comerciais na região de Lisboa e Vale do Tejo; interrupções dos corredores aéreos da Inglaterra e Alemanha; ausência de público nos estádios de futebol e não realização de eventos.

No primeiro semestre deste ano, a cotada passou a prejuízos de 33,4 milhões de euros de no depois de ter tido um resultado líquido positivo de 600 mil euros nos primeiros seis meses de 2019.

Ler mais
Recomendadas

“Sobreviver a Pão e Água”. “Centenas” de membros do movimento dispostos a regressar à greve de fome se Governo não aprovar medidas exigidas

Movimento diz que Governo disse que iria apresentar em breve várias das medidas por si exigidas. Se até dia 11 de dezembro, não apresentar as restantes medidas ameaçam que com o regresso à greve de fome em frente ao Parlamento e por todo o país, com “mais de uma centena de pessoas”.

Sindicato denuncia que Ryanair se prepara para despedir 23 tripulantes no Porto enquanto abre processo de recrutamento

O SNPVAC denuncia que, ao mesmo tempo que a companhia aérea avança para o despedimento coletivo, já está a realizar cursos para novos tripulantes “violando grosseiramente o Código de Trabalho”, segundo o sindicato.

Costa adia anúncio de medidas de apoio para as rendas do comércio e da restauração

A 21 de novembro, o primeiro-ministro anunciou que as medidas de apoio para as rendas de lojas e restaurantes seria anunciada nos dias seguintes. Passados 15 dias, o Governo ainda não anunciou os apoios e adiou para a próxima semana.
Comentários