Ikea Portugal vai investir 6 milhões de euros para reduzir preços a partir de setembro

Num encontro com jornalistas para apresentar a nova estratégia comercial e de ‘marketing’ da cadeia sueca, a responsável disse que a Ikea Portugal pretende tornar os produtos acessíveis à carteira dos consumidores portugueses, pelo que vai investir no próximo fiscal “seis milhões de euros” na redução dos preços de entre “130 até 185 produtos”.

A Ikea Portugal vai investir seis milhões de euros na redução de preços no ano fiscal que se inicia em setembro, anunciou esta terça-feira a diretora comercial da subsidiária portuguesa, Michaela Quinlan.

Num encontro com jornalistas para apresentar a nova estratégia comercial e de ‘marketing’ da cadeia sueca, a responsável disse que a Ikea Portugal pretende tornar os produtos acessíveis à carteira dos consumidores portugueses, pelo que vai investir no próximo fiscal “seis milhões de euros” na redução dos preços de entre “130 até 185 produtos”.

Michaela Quinlan adiantou também que a marca de retalho pretende aumentar os pontos de entrega, que atualmente são dois – Viana do Castelo e Leiria –, para um total de 14 no próximo ano fiscal, que terminará em agosto de 2020.

Em setembro, a responsável acrescentou, abrem pontos de recolha em Vila Real, Castelo Branco e Palmela.

Notícia atualizada a 16-08-2019

Relacionadas

Ikea fecha fábrica nos EUA e migra para a Europa devido a baixos custos de produção

“Fizemos todos os possíveis para melhorar e manter a competitividade desta fábrica mas, infelizmente, não se prepuseram as condições de custos adequadas para a continuação de produção em Danville, a longo prazo”, explicou o gerente da fábrica.

Ikea investiu mais de 100 milhões na sustentabilidade em 2018

O objetivo para 2020 é que 100% do material da empresa seja encaminhado para a reciclagem, à semelhança do que acontece com o cartão. “Odiamos desperdício”, diz Cláudia Domingues.
Recomendadas

Vendas dos lojistas com quebras de 37% face a 2019. Em Lisboa, a redução é superior a 40%

Por sector de atividade, a restauração continua a ser o setor mais afetado, com a descida das vendas a registar 49,1%, o sector de retalho 34,3% e o sector de serviços 38,5%.

Sociedade do Luxemburgo quer comprar até 450 milhões de euros de dívida da dona do Minipreço

A sociedade do Luxemburgo é a DEA Finance, que é detida pela LetterOne. A mesma LetterOne que é a principal acionista da dona do Minipreço, com 69,76% do capital.

PSD diz que “começa a ser evidente” necessidade de uma comissão de inquérito ao Novo Banco

Em causa está mais um negócio ruinoso do Novo Banco para o Estado português, desta vez com a venda a preços de saldo de uma seguradora a um fundo detido por um milionário condenado por corrupção. Os social-democratas dizem que comissão de inquérito é essencial para se perceber como forma feitas as compras e vendas de ativos do banco.
Comentários