Ilha no rio Tejo à venda por 22 milhões de euros

A ilha Mouchão de Alhandra está à venda no site Private Islands Online por 25 milhões de dólares (cerca de 22,8 milhões de euros).

Não tem piscina nem esplanada para beber um cocktail enquanto aproveita o pôr-do-sol. Há estábulos, celeiros e outras faciidades para criar gado. “Um sonho em desenvolvimento”, informa o site http://www.privateislandsonline.com/.

O clima temperado e a vista sobre o Tejo são também características a ter em conta, ideais para quem deseja construir um ‘resort’ turístico, acrescenta o site. O preço está ao nível das melhores ilhas do mundo: a ilha Mouchão de Alhandra, em pleno Tejo, é mais cara do que algumas nas Seychelles, Polinésia francesa ou Bahamas e está há venda há vários anos.

Situada a cerca seis quilómetros de distância de Lisboa, a ilha é a única representante portuguesa neste site que se dedica à venda e aluguer de ilhas em todo o mundo.

O dono da Virgin, Richard Branson, ou o vocalista dos Rolling Stones, Mick Jagger, são donos de ilhas privadas nas Caraíbas e passam por lá grandes temporadas. Será que algum deles vai um dia investir na ilha do Mouchão?

Recomendadas

Estes são os países mais ricos, saudáveis, felizes e seguros do mundo

Noruega, Nova Zelândia e Finlândia lideram o ranking do Índice de Prosperidade Global Anual mas Portugal também ficou (muito) bem classificado. Veja aqui a lista dos países mais prósperos do mundo.

Portugal é o segundo país da UE com estradas com mais qualidade

Portugal encontra-se no segundo posto entre os 28 Estados-membros, com 6,05 pontos (numa escala de 1 a 7), apenas atrás da Holanda (6,18 pontos), e à frente da França, que completa o “pódio” (5,96 pontos).

Criada nova associação de taxistas que conta com a Mytaxi entre os fundadores

APMobi – Associação Portuguesa para a Mobilidade surgiu com o objetivo de abordar de forma diferente o setor do táxi, embora não se afirme contra as associações já existentes, como a Antral e a FPT. “Queremos ser a voz dos que não se revêem nas críticas por falta de vontade de inovar e de melhorar o setor”, afirmaram os fundadores ao Jornal Económico.
Comentários