iLoF oferece dez empregos qualificados. Veja aqui as áreas

A empresa tecnológica que combate a doença de Alzheimer com recurso à fotónica e à inteligência artificial está a contratar para responder ao plano de expansão.

Photographer: Michiel Ton

A iLoF – Intelligent Lab on Fiber está a contratar uma dezena de profissionais em várias áreas de especialização: Bioengenharia, Informática, Eletroténica e especialistas em Inteligência Artificial ou ‘Machine Learning’, revelou ao Jornal Económico o seu CEO, Luís Valente. “Iremos preenchendo as vagas à medida que formos encontrando as pessoas certas, mas o objetivo é termos o processo concluído dentro de um ano”. Todos os profissionais serão recrutados a contrato sem termo, adiantou.

O recrutamento responde às necessidades de expansão da jovem startup fundada por três portugueses ligados à Universidade do Porto – além de Luís Valente, Joana Paiva, CTO e Paula Sampaio, CSO – e uma investigadora da Universidade de Oxford, Mehak Mumtaz, COO.

A iLoF Intelligent Lab on Fiber desenvolve ferramentas de “estratificação e diagnóstico personalizadas” para analisar a informação recolhida nos rastreios para os ensaios clínicos nos doentes de Alzheimer, o que permite “uma seleção mais eficaz dos pacientes”, “reduzindo custos”. Por outras palavras, a solução proposta pela startup resolve a dificuldade de recrutar pacientes para os estudos clínicos. Como? Através de um teste de sangue baseado em fotónica  e inteligência artificial que consegue recolher uma impressão digital ótica do perfil biológico do paciente.

Nos últimos 14 anos, realizaram-se 400 estudos clínicos falhados e não houve nenhum tratamento que invertesse o curso da doença. Na explicação de Luís Valente, a inovação da iLoF constitui, assim, um salto em frente na procura de  um tratamento para a doença de Alzheimer, deixando antever a possibilidade de no futuro com o mesmo teste ser possível detetar as pessoas que sofrem da doença. Será o salto seguinte.

Pela inovação, a iLoF foi recentemente premiada com dois milhões de euros da Wild Card, programa de aceleração do EIT Health, maior consórcio do mundo na  área da saúde.

 

 

Recomendadas

Teletrabalho deixa de ser obrigatório a partir de 1 de agosto

A partir de 1 de agosto, o risco de contágio da Covid-19 em cada concelho deixará de ser um critério para impor o teletrabalho e este regime passa a ser apenas recomendado em todo o território, desde que a actividade seja compatível com o trabalho à distância

Quer comprar casa? Eis três erros que não quer cometer

A decisão de comprar casa não costuma ser tomada de ânimo leve. O ComparaJá.pt mostra 3 erros que não deve cometer quando compra uma nova habitação.

Preços da luz: Goldenergy, a EDP Comercial e a Endesa apresentam as ofertas mais competitivas

A ERSE analisou e concluiu que a Goldenergy, a EDP Comercial e a Endesa apresentam as ofertas mais competitivas para os diferentes consumidores-tipo.
Comentários