IMI: Deco recomenda nova avaliação da casa. Poupanças médias de 77 euros

A associação destaca que as “Finanças não atualizam automaticamente a idade das casas, nem o seu coeficiente de localização, que muda a cada três anos”. Os contribuintes sem isenção de IMI e com mais de 500 euros a pagar têm de liquidar a segunda prestação do imposto até ao final do mês de agosto.

A Deco aconselha os consumidores a pedirem uma nova avaliação do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI).  Segundo a associação de proteção de direitos ao consumidor, a Autoridade Tributária limita-se a aumentar os valores deste imposto, não procedendo regularmente à avaliação da casa.

No simulador da Deco – www.paguemenosimi.pt -, mais de 70% dos consumidores que realizaram desde o início do ano a simulação concluíram que poderiam obter uma poupança de 70 euros, em média, no IMI.

A associação destaca que as “Finanças não atualizam automaticamente a idade das casas, nem o seu coeficiente de localização, que muda a cada três anos. Todos estes fatores influenciam o cálculo do IMI, mas o Estado limita-se a aumentar o valor das casas de acordo com a inflação”.

A revisão de todas as parcelas só é feita quando a “casa muda de dono (por aquisição ou herança) ou quando o proprietário entrega nas Finanças um pedido de atualização do valor da casa. Há, portanto, proprietários de imóveis que continuam a pagar IMI a mais e só uma simulação personalizada, em www.paguemenosimi.pt pode confirmar se vale a pena pedir às Finanças uma nova avaliação do imóvel para efeitos de cálculo do imposto”.

É de recordar que os contribuintes sem isenção de IMI e com mais de 500 euros a pagar têm de liquidar a segunda prestação do imposto até ao final do mês de agosto.

Se o valor for inferior a 100 euros, o IMI é pago numa única prestação. Se o valor for entre os 100 e os 500 euros, pode ser pago em duas prestações, maio e novembro. Se o valor ultrapassar os 500 euros, pode ser pago em três prestações, maio, agosto e novembro.

Para pedir a nova avaliação, o “consumidor deve preencher o modelo 1 do IMI e submetê-lo no Portal das Finanças ou apresentar o pedido pessoalmente no serviço de Finanças, opção mais recomendável, já que alguns dados requeridos não são do conhecimento do proprietário e será mais fácil obtê-los na própria repartição”.

Este pedido é gratuito e deverá ser apresentado antes de 31 de dezembro para reduzir o imposto a pagar no ano seguinte. “Enquanto alguns contribuintes podem poupar já no IMI do próximo ano, outros poderão ter de esperar um pouco mais, caso a última revisão dos dados do imóvel tenha sido feita há menos de três anos. O simulador desta organização de consumidores dá a resposta personalizada e disponibiliza um sistema de alerta, que avisa o contribuinte de que já está na altura de repetir a simulação e, porventura, começar a poupar no IMI”, explica a Deco.

Ler mais

Recomendadas

OE2021: Aprovada proposta para pagamento em prestações de IVA e IRC até 15 mil euros

A medida aplica-se apenas a tributos cujo valor no momento do requerimento e a pagar em prestações seja inferior a 15.000 euros.

Aprovada proposta que remete concurso do ‘IVAucher’ para fiscalização à posteriori do TdC

Em causa está um mecanismo, apelidado de ‘IVAucher’, que permite ao consumidor final acumular o valor correspondente à totalidade do IVA suportado em consumos nos setores do alojamento, cultura e restauração, durante um período (12 semanas) e utilizar esse valor, durante as 12 semanas seguintes, em consumos nesses mesmos setores.

Receita fiscal do Estado com quebra homóloga de 2,8 mil milhões até outubro

Esta evolução da receita fiscal líquida acumulada do subsetor Estado, assinala a DGO, reflete de forma evidente os efeitos da pandemia de covid-19.
Comentários