Impasse nas negociações entre democratas e republicanos afetam Wall Street

No fecho da sessão, o S&P 500 cai 0,79%, para 3,333.90 pontos, o tecnológico Nasdaq desvaloriza 1,69%, para 10,782.82, e o industrial Dow Jones desce 0,38%, para 27,686.91 pontos.

Reuters

A Bolsa de Nova Iorque encerrou a sessão desta terça-feira em terreno negativo face ao impasse nas negociações entre os deputados republicanos e democratas sobre o programa de apoio a 30 milhões de cidadãos norte-americanos desempregados.

No fecho da sessão, o S&P 500 cai 0,79%, para 3,333.90 pontos, o tecnológico Nasdaq desvaloriza 1,69%, para 10,782.82, e o industrial Dow Jones desce 0,38%, para 27,686.91 pontos.

Em entrevista ao canal “Fox News”, o líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, confirmou que as negociações entre os democratas e a Casa Branca estão “num impasse”, deitando por terra o otimismo dos investidores de que os legisladores chegarão a um acordo sobre uma nova ronda de estímulo fiscal mais cedo ou mais tarde.

Uma negociação que acontece numa altura em que os casos de coronavírus nos Estados Unidos já ultrapassaram a barreira dos cinco milhões de cidadãos e numa quarta-feira que fica marcada pela declaração do presidente Vladimir Putin, ao referir que a Rússia é o primeiro país do mundo a registar uma vacina contra a Covid-19.

A vacina batizada como Sputnik V não convence contudo muitos profissionais de saúde, dado que a mesma não terá passado pelas três fases finais de testes clínicos, apesar do chefe de Estado da Rússia ter afirmado que esta é “eficaz e superou todas as provas necessárias, assim como permite uma “imunidade estável” à Covid-19. Vladimir Putin informou que uma das suas filhas já foi inclusivamente vacinada.

No mercado empresarial a Boeing subiu apenas 1%, depois de ignorar os dados anteriores que mostravam que o ritmo de cancelamentos de pedidos no mês passado superou o ritmo de novos pedidos dos seus clientes. 

O setor financeiro manteve alguns ganhos, graças a um salto nos bancos após um movimento de alta nos rendimentos dos títulos. O JPMorgan subiu 4%, enquanto o Goldman Sachs e Bank of America subiram mais de 1%.

Ler mais

Recomendadas

Wall Street aguenta, mas perdeu fôlego ao longo do dia

Os principais índices do outro lado do Atlântico estiveram a subir, mas no final do dia acabaram por ceder. Mesmo assim, dizem os analistas, os investidores continuam a confiar em novos estímulos à economia.

Sexta sessão em queda. Bolsa de Lisboa penalizada por perdas do BCP e Galp

Num quadro pintado de encarnado, a EDP Renováveis e a Sonae sobressaíram pela positiva, ao subirem ambas cerca 0,20%. Nas restantes praças europeias, igualmente pessimistas, destacam-se as transações de M&A da banca espanhola – desta feita, entre o Unicaja e o Liberbank.

Depois das fortes quedas de quarta-feira, Wall Street abre em baixa

As inscrições no desemprego nos Estados Unidos aumentaram na última semana, sugerindo uma recuperação mais lenta do mercado laboral devido às medidas restritivas para limitar a propagação de covid-19, indicam os números divulgados hoje.
Comentários