Inapa diz que foi cancelado o registo da ação judicial

A Inapa, distribuidora de papel, livrou-se da ação judicial que tinha sido colocada por um acionista. Em consequência as ações resultantes da operação de conversão das anteriores ações preferenciais, deixarão de constituir uma categoria autónoma.

A Inapa anunciou ao mercado que, “na sequência do comunicado de 29 de Agosto de 2019, foi cancelado o registo junto da Conservatória do Registo Comercial da ação judicial declarativa de anulação das deliberações sociais aprovadas na assembleia geral de 15 de Novembro de 2018 e na assembleia especial de detentores de acções preferenciais sem voto da mesma data, em virtude do trânsito em julgado da referida acção judicial”.

Em consequência, a partir do dia 21 de Outubro de 2019, as 376.225.508 acções ordinárias resultantes da operação de conversão das anteriores ações preferenciais, deixarão de constituir uma categoria autónoma e serão agregadas às já existentes ações ordinárias originais.

Empresa controlada pelo Estado e pela banca conseguiu um acordo com o acionista Pedro Baltazar, da Nova Expressão, que desistiu da ação judicial.

 

Recomendadas

Lucros da banca sobem 133% em 29 anos, já o crédito a clientes subiu 862%

Desde 1990, verificou-se um aumento de concentração do sistema bancário português. Ao longo do período para o qual existe informação comparável, Portugal apresenta um nível de concentração superior ao da área do euro, o que poderá ser explicado pelo facto dos países mais pequenos tenderem a ter níveis de concentração mais elevados, explica o BdP.

Moody’s atribui ‘rating’ B2 com ‘outlook’ estável à TAP e ao empréstimo obrigacionista

Depois da Standard & Poor’s, é a vez da Moody’s iniciar a análise de ‘rating’ da companhia aérea nacional.

Moody’s atribui à dívida da TAP quinto nível de “lixo”

A agência de notação financeira norte-americana atribuiu o ‘rating’ “B2” à emissão de obrigações anunciada ontem.
Comentários